Portugal mantém-se na lista de preferência dos franceses este Verão

Apesar do impacto das greves no sector aéreo, e do efeito Mundial de Futebol, um terço dos franceses quer fazer férias fora do seu país este Verão e os principais destinos turísticos escolhidos são Portugal, Espanha, Itália e Grécia.

“Este ano, há muitas intenções de saída para viagens ao exterior em detrimento das férias em França: 34% dos franceses, contra 29% o ano passado querem deixar o país durante o Verão”, resumiu à AFP Didier Arino, director do Gabinete Protourisme.

Já Jean-Pierre Mas, representante das agências de viagens francesas, indica que “há um crescimento mais forte em reservas estrangeiras. Os franceses têm moral, querem viajar “, acrescentando que “Portugal, Espanha, Itálial e Grécia voltarão a ser os destinos vencedores, assim como a Tunísia, que está de volta em força após os ataques perpetrados em 2015”.

Para esta temporada de Verão, os operadores turísticos até esperam “uma excelente movimentação, mesmo excepcional, apesar de uma grande desaceleração” ao nível das reservas verificadas no passado mês, devido ao impacto das greves no sector aéreo francês. Mesmo assim, continuam optimistas para Julho, Agosto e Setembro.

Depois de um início de ano muito positivo, desde meados de Maio assistiu-se a uma desaceleração nas vendas, uma tendência que se aplica a todo o mercado, confirmam os principais operadores turísticos em França, que acreditam que o Mundial de Futebol que está a decorrer na Rússia possa também ter algum impacto, uma vez que os adeptos preferem ficar em casa com amigos e familiares em frente à sua TV e, enquanto assistem aos jogos não estão a organizar as suas férias.

“A cada quatro anos, o Mundial cria um movimento de esperar para ver”, acrescenta o presidente do Easyvoyage, Jean-Pierre Nadir. De acordo com uma pesquisa do portal, cerca de 22% dos franceses acham que está “fora de questão” ir de férias durante a competição”.

Em direcção oposta, o responsável do Protourisme enfatizou que confirma-se “um verdadeiro regresso à França de turistas estrangeiros, como alemães, belgas, holandeses e britânicos. O destino Paris deve ser impulsionado por esses turistas, que foram quase 89 milhões a visitar o país em 2017, um recorde após dois anos marcados por atentados”.

Já o secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros, Jean-Baptiste Lemoyne havia afirmado que as reservas de chegadas internacionais para os próximos três meses estavam a subir na ordem dos 8%.