Portugal cada vez mais na rota do surf mundial

Com o Nazaré Challenge (WSL Big Wave Tour – BWT) – este ano pela primeira vez no nosso país – e com os eventos WSL Azores Pro, Cascais Billabong Pro, Meo Rip Curl Pro Portugal (Peniche), Portugal é, a par com a Austrália, o único país do mundo que acolhe todas as competições que integram o leque do surf competitivo internacional.

Desde 2008 que Portugal tem sido um dos principais destinos de eventos da WSL. Este ano, já acolheu, pelo menos, 7 eventos oficiais, com diferentes tipos de graduações, desde provas de qualificação mundiais, à etapa do circuito mundial, marcando também presença no top 3 do ranking mundial de investimento em Prize Money em Provas da World surf League.

Estes factos demonstram o compromisso real do Turismo Português (Turismo de Portugal) em consolidar Portugal e as suas ondas como um destino de surf premium, sendo o melhor destino de surf da Europa e um dos melhores do mundo. Estima-se que a indústria do surf gera 400 milhões de euros.

Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, revela que “o eixo estratégico como é considerado o mar, a costa e as ondas em Portugal tem sido um dos motores para o desenvolvimento do surf em Portugal, sobretudo fora da época alta”, para acrescentar que “embora os resultados sejam extremamente positivos existe ainda muito trabalho para fazer”.

A marca Portugueses Waves de promoção do surf em Portugal, cujo plano de activação ascende a um valor de 850 mil euros, tem vindo a permitir a divulgação do destino e da sua oferta turística, através de perspectivas diferenciadas que visam impactar não só os surfistas, mas acima de tudo associar o destino Portugal aos atributos positivos que lhe confere o surf, o que beneficia e valoriza o turismo no seu todo, sendo igualmente um factor de distinção no que diz respeito a trazer para Portugal eventos ao longo de todo o ano.