PR de Cabo Verde defende qualidade como factor de diferenciação no turismo

O presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, falava esta segunda-feira na cidade da Praia, no arranque do VII EITU – Encontro Internacional de Turismo de Cabo Verde.

Para o chefe de Estado cabo-verdiano, a qualidade é a “receita” fundamental em que deverá assentar a oferta e o produto turístico do país. Só apostando na qualidade, Cabo Verde poderá enfrentar a concorrência e consolidar-se enquanto destino turístico.

“Independentemente do produto turístico oferecido, seja qual for a amplitude da nossa oferta turística, há uma questão que nos deve interpelar a todos: a qualidade”, afirmou o chefe de Estado na abertura do Encontro Internacional do Turismo. Citado em notícia divulgada pela Agência Lusa, Jorge Carlos Fonseca alertou que Cabo Verde tem que começar a debruçar-se mais seriamente sobre o que o turista quer e sublinhou que o país deve diversificar a sua oferta, articular as diferentes áreas que tocam o turismo e promover uma “saudável interacção” entre os sector público e o privado, dando prioridade a elementos como a segurança e a preservação ambiental.

Estes são, aliás, dois dos temas que até quarta-feira vão estar em discussão no âmbito do Encontro Internacional do Turismo que pela primeira vez se realiza fora da ilha do Sal. Iniciativa da Câmara do Turismo de Cabo Verde, em parceria com o Governo e Associação dos Municípios Cabo-verdianos, o evento vai abordar ainda temas como o turismo balnear e de habitação, qualidade, turismo de cruzeiros, consolidação dos destinos actuais, novos destinos e produtos e grandes motores da renovação do produto turístico.

Sublinhe-se que o turismo é um importante sector de actividade para a economia de Cabo Verde, contribuindo com 21% do Produto Interno Bruto (PIB) e do emprego gerado no país. O ano passado o país recebeu cerca de 550 mil turistas, número que poderá vir a chegar aos 650 mil este ano.