Presidente da ABTA preocupado com os impactos do Brexit no turismo

O presidente da ABTA, associação britânica das agências de viagens, Noel Josephides, veio a Lisboa esta quarta-feira e num almoço promovido pela APAVT, demonstrou preocupação face ao impacto do Brexit junto do turismo do seu país, realçando que “as principais dores de cabeça estão ainda por vir”, até porque “ninguém sabe como será o período de ajustamento que o Reino Unido terá de enfrentar para concretizar a sua saída da União Europeia”.

O responsável realçou que no Reino Unido já existem sinais de tempos difíceis, tais como a queda da libra esterlina em 20%, a subida da inflação e a previsão do congelamento de salários, para indicar ainda que os ingleses não vão ter dinheiro para pagar viagens ao estrangeiro, preferindo fazer férias no próprio país.

No encontro com responsáveis e profissionais do turismo português, em que estiveram também presentes a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, e da secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo dos Açores, Marta Guerreiro, Noel Josephides alertou para o facto da Turquia e do Egipto, destinos que, devido à instabilidade política tem perdido turistas internacionais estarem a voltar, “porque os preços nesses destinos estão muito baratos”.

Tendo em conta a importância do mercado britânico para Portugal, que em 2016 cresceu 10% em dormidas e 20% em receitas, Ana Mendes Godinho disse estar empenhada em trabalhar com os operadores ingleses visando o crescimento de turistas ingleses para o nosso país, a par da aposta na diversificação de produtos e destinos, para além do Algarve, Madeira e Lisboa que os ingleses mais procuram.

Refira-se que o Congresso da ABTA este ano é nos Açores, mais concretamente em Ponta Delgada, de 9 a 11 de Outubro, devendo contar com a presença de mais de 600 profissionais britânicos do sector.

(Mais pormenores deste encontro na próxima edição da Revista Turisver)