Presidente da CTP acredita que com António Costa privados podem ter maior participação na promoção turística

Redução do IVA da restauração, manutenção da taxa de 6% no alojamento, promoção turística co-participada por públicos e privados, foram os temas destacados pelo presidente da Confederação do Turismo Português, Francisco Calheiros, que ao Turisver.com fez o balanço do jantar com o secretário-geral do Partido Socialista.

Das várias ideias ontem deixadas por António Costa durante o jantar organizado pela CTP, Francisco Calheiros realçou, em declarações ao Turisver.com, os três pontos que considerou fundamentais: “a redução do IVA na restauração de 23% para 13%”, o compromisso de “não ser alterada a taxa de 6% sobre o alojamento” o que considerou ser “uma grande notícia para o sector do turismo” e a “ideia muito clara” de António Costa de que, no que toca à promoção turística, “as coisas têm que ser pensadas, têm que ser arrumadas”. Sobre este tema, o presidente da Confederação assume não ter dúvidas que “a promoção, até pela experiência que [António Costa] viveu na Associação Turismo de Lisboa, tem que ser algo em que tem que haver um contributo tanto da parte pública como dos privados”. Porque esta é uma posição que a CTP sempre tem defendido, o seu presidente garante ter ficado “satisfeito com o output que daqui saiu”.

Ao Turisver.com, Francisco Calheiros considerou também fundamental a ideia de as receitas do IVA poderem ser repartidas com os municípios. “Esta questão é fundamental e também aqui vale a experiência que o Dr. António Costa teve como presidente da Associação Turismo de Lisboa”. A questão coloca-se em Lisboa como se coloca ainda mais no Algarve onde “30 mil habitantes de um determinado município pagam as despesas de 200 mil, ficando nesse município apenas 5% da receita do IRS” facto pelo qual “deverá haver uma redistribuição dessa receita”.

Pelas ideias e compromissos deixados pelo secretário-geral do PS e pela “avalanche de empresários” presentes, o presidente da CTP afirmou-se, no final, visivelmente “contente” com a forma como decorreu este primeiro jantar-debate realizado no âmbito das Legistaltivas 2015.