Programação 2017: Lusanova apresenta oferta reforçada

A programação 2017 da Lusanova, mais do que novidades, apresenta uma oferta reforçada nos vários destinos que constituem o seu core-business. Este ano o operador turístico continua focado nas vendas antecipadas como forma de premiar os clientes que compram as suas férias atempadamente, e nas tecnologias, sem descurar a personalização e o seu relacionamento pessoal com os agentes de viagens. Em termos de vendas, o ano começou bem e as previsões são para um excelente 2017.

Quanto à programação propriamente dita “há uma maior oferta nos circuitos europeus clássicos e nos circuitos europeus selecção destinados a clientes que já conhecem a Europa, mas preferem locais mais específicos e ver com maior detalhe”, disse ao turisver.com, o director comercial da Lusanova, Francisco Patrício, no encerramento do roadshow do operador turístico, que terminou esta quarta-feira em Lisboa.

Francisco Patrício destacou que nos circuitos europeus clássicos, há um novo produto que é o Itália Dolce Vita, com início na capital italiana e final em Veneza, passando por Florença e Siena, enquanto na oferta Selecção as novidades é que estão incluídos dois circuitos para o sul de Itália, designadamente, o Costa Amalfitana e o Sul de Itália e Sicília, bem como o Melhor da Alemanha, que começa em Munique e termina em Berlim.

“Temos também os circuitos temáticos em autocarros com programação renovada e fizemos algumas alterações em relação aos nossos circuitos ibéricos, tendo sido alterado o programa das grandes cidades de Espanha”, explicou ainda o director comercial da Lusanova.

No que se refere aos Grandes Destinos, o operador turístico apresenta como novidade um destacável dedicado à Índia, com roteiros exclusivos, guias em espanhol e possibilidade de saídas individuais, ao mesmo tempo que disponibiliza maior oferta nos Estados Unidos com dois tipos de programas, para segmento médio e segmento alto, “porque há público para os dois segmentos”, em unidades de quatro e cinco estrelas com pequeno-almoço e com guias em língua portuguesa, tal como o Canadá.

Nas Grandes Viagens, a Lusanova oferece igualmente 40 destinos para casais em lua de mel, que estão identificados com uma aliança, ao mesmo tempo que “destacamos as praias exóticas na nossa programação, não só para luas de mel, mas para aqueles clientes que já estão cansados das Caraíbas, Cabo verde ou Brasil, e querem ir para outros destinos”, revelou Francisco Patrício.

Apesar de não fazer parte do seu DNA, o operador tem uma operação charter para Dubrovnik, com estadias na cidade, hipótese de Fly & Drive e circuitos à partida desta cidade da Croácia. A operação, à saída de Lisboa, será realizada em Julho e Agosto com a White. “Não somos um operador de charter, a nossa programa-se assenta-se fundamentalmente em voos regulares e vamos continuar assim”, ressalvou o responsável.

Uma maior aposta nos cruzeiros é também visível na programação da Lusanova para 2017, muitos dos quais só terminam em Março de 2018. “Nos cruzeiros continuamos a ampliar a nossa oferta nas companhias que representamos, nomeadamente a Holland America e Noruegian Cruise Line e, com a nova oferta do tudo incluído da NCL, pensamos que vai puxar mais a venda dos cruzeiros desta companhia”, disse Francisco Patrício, para acrescentar que os cruzeiros fluviais pelos rios europeus “têm sido um êxito neste primeiro trimestre, o que nos surpreendeu positivamente”.

No segmento dos cruzeiros, e como o turisver.com já tinha anunciado, o destaque vai para a programação Platina, uma conjugação de um circuito com um cruzeiro. “Pensamos que vai ser um êxito, até porque é preciso ter produtos para um segmento de público mais alto porque, o que se tem verificado nos útlimos anos é a massificação de destinos e o vender barato, o que não é o nosso mercado e o nosso público-alvo”, disse o responsável, indicando ainda que “é tal como temos, nos Grandes Destinos, a flexibilidade de ajustarmos alguns destinos ao desejo do cliente, ou seja, mais dias aqui, ou menos dias ali”.

A Lusanova aposta igualmente nas vendas antecipadas como forma de beneficiar os clientes que compram as suas viagens antecipadamente, e tem encontrado algum retorno nas campanhas de tem vindo a lançar no mercado. “Foi uma política certa que todos os operadores adoptaram”, afirmou o director comercial do operador.

As tecnologias fazem parte também das apostas do operador turístico, que de 21 de Março a 12 de Abril percorreu 15 cidades portuguesas de Norte a Sul, Açores e Madeira, que juntou cerca de mil agentes de viagens. “A tecnologia é uma aposta e está a ser cada vez mais aperfeiçoada. Estamos a fazer um esforço para tornar o nosso site cada mais rápido e mais ao serviços dos agentes de viagens. Contudo, vamos privilegiar também aquilo que chamamos de contacto pessoal com o agente de viagens. Vamos personalizar cada vez mais o nosso serviço porque uma coisa não invalida a outra. A tecnologia serve para a rapidez e eficiência, mas a personalização serve para aproximar os agentes de viagens do operador”, considerou.