Projecto 4DTM vai melhorar pontualidade das companhias aéreas na Europa

Dispor de uma imagem exacta e sincronizada do tráfego aéreo na Europa, através do projecto Four Dimensions Trajectory Mangament (4DTM), vai permitir melhorar a pontualidade dos voos, reduzir o consumo de combustível e as emissões de CO2, possibilitando aos aeroportos absorver mais tráfego e reforçar a segurança.

Quase 30 empresas e organismos, liderados pela Indra, desenvolvem soluções que vão melhorar a qualidade, consistência e agilidade no intercâmbio de informação aeronáutica, meteorológica e de trajectória. O projecto aborda um dos principais objectivos para avançar na construção do Céu Único Europeu: garantir que os ANSP (Air Navigation Services Providers), operadores de aeroportos, linhas aéreas e toda a comunidade aeronáutica partilhem uma visão harmoniosa e actualizada dos movimentos dos aviões civis e militares em todo o continente.

A Indra lidera o consórcio formado por 28 ANSP’s, empresas tecnológicas e organismos de investigação da UE, Noruega e Suíça que vão trabalhar neste desafio. O projecto insere-se na iniciativa SESAR, pilar tecnológico do Céu Único Europeu, e está financiado pelo programa de investigação e desenvolvimento Horizonte 2020.

A principal característica dos voos 4D está em que a aeronave e o centro de controlo em terra partilham a informação sobre a posição que terá a aeronave em qualquer momento da sua rota. Para além de garantir os dados que utilizam os diferentes intervenientes na gestão do voo, este projecto também vai desenvolver ferramentas para melhorar o fornecimento de informação aeronáutica e meteorológica mais precisa e harmonizada. Esta nova forma de voar permite às aeronaves escolher rotas directas, o que reduz o consumo de combustível, as emissões de CO2 e os custos. Por sua vez, os controladores irão dispor de informação mais precisa para planear as operações e gerir o tráfego de forma mais fluida.

Modernizar os sistemas e melhorar a gestão das operações aéreas é imprescindível para que a Europa possa absorver o incremento constante do tráfego aéreo que se verifica ano após ano. Está previsto que o tráfego passe dos dez milhões de voos anuais que se registam actualmente na UE para 16,9 milhões em 2030.