Projecto de resolução do PS sobre Turismo Religioso aprovado na AR

O Parlamento votou, e aprovou, na última sexta-feira, 19 de Abril, o projecto de resolução apresentado pelo Partido Socialista, através da deputada Hortense Martins, no qual se recomendava ao governo que considerasse ?o Turismo Religioso produto estratégico no âmbito da revisão do Plano Estratégico Nacional de Turismo?. O projecto de resolução, aprovado na última sexta-feira, tinha sido apresentado e discutido em Plenário dois dias antes, a 17 de Abril, com Hortense Martins a sublinhar, na intervenção de apresentação do projecto, que o PENT continua a incluir 10 produtos estratégicos, basicamente os mesmos que se encontravam no anterior Plano, embora em alguns casos assumindo denominação diferente. A Deputada deu como exemplos o caso do turismo de Saúde e Bem-estar que passou a ser apenas Turismo de Saúde, sublinhando também o caso do turismo religioso que antes aparecia integrado no produto Touring Cultural e Paisagístico e que agora se inclui ?pretensamente? nos Circuitos Turísticos religiosos e culturais. Para o PS a renomeação não é o fundamental, ?o que importa é que na sua acção o Governo, desenvolva medidas para que o Turismo religioso e cultural seja efectivamente considerado produto estratégico, dada a sua importância também ao nível do potencial de desenvolvimento de regiões do interior, como é o caso de Belmonte, com o turismo Judaico ou os Caminhos de Santiago, ou Fátima, que é um centro de forte visitação conhecido em termos internacionais?. Considerando que esta revisão do PENT foi ?uma oportunidade perdida?, a Deputada do PS chamou a atenção do governo ?para que trabalhe no efectivo Plano estratégico Nacional de Turismo, que tenha uma visão estratégica para o sector, envolvendo todo o trade nessa discussão? e que ?nessa revisão o Turismo religioso e cultural seja efectivamente tratado como estratégico?. Já no texto do Projecto de Resolução aprovado sexta-feira pode ler-se que ?no quadro da discussão da proposta de revisão ao PENT, o Grupo Parlamentar do Partido Socialista entende que se deve valorizar e autonomizar o Turismo Religioso, enquanto potencial de um produto estratégico e fundamental para o crescimento e desenvolvimento económico sustentável. E agora que o Projecto foi aprovado, a deputada Hortense Martins diz esperar que ?seja levado à prática como tal, dando a importância merecida a um produto, o turismo religioso e a sua vertente cultural, que muito potencial de desenvolvimento tem, nomeadamente na nossa região, através do Turismo Judaico, quer em termos nacionais e internacionais, ou através dos Caminhos de Santiago?. M.F.