Quercus recomenda promoção activa do turismo de natureza em Castro Marim

Por ocasião do seu 39.º aniversário, a associação ambientalista Quercus realizou uma avaliação à Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António, recomendando a aposta na promoção activa do turismo de natureza, nomeadamente no turismo rural. Neste sentido, a Quercus propõe que se incentive o turismo rural com a contratualização da gestão de estruturas de visitação, na agricultura biológica, na valorização da pesca artesanal e da produção de peixe em regime extensivo, sem alterar a morfologia das antigas salinas e com financiamento da baixa produtividade, bem como na certificação de produtos regionais, avançava sexta-feira, 28 de Março, o Público. Além de recomendar a aposta no turismo de natureza e rural, como forma de ajudar à preservação deste património natural, a Quercus propõe também a monitorização de espécies exóticas e uma maior vigilância e verificação da conduta dos visitantes na área, alertando também para a pressão urbanística e turística que esta zona tem vindo a sofrer. A criação da Reserva Natural levou já à implementação de algumas medidas que visam aumentar os valores de conservação do património natural desta área, como a interdição do exercício da caça e a inserção na Lista de Sítios da Convenção de Ramsar, que inclui todas as zonas húmidas de importância internacional. A Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António possui uma fauna diversificada, onde se destacam espécies estuarinas e migradoras, como a dourada e o robalo, e espécies dulciaquícolas. É ainda local de passagem de avifauna, com registos de ocorrência de 169 espécies regulares e 17 espécies que ocorrem de forma ocasional. I.M.