RAVT apoia candidatura de Pedro Costa Ferreira à APAVT

Em nota enviada à comunicação social, Maria José Silva, CEO da RAVT, faz saber que a recandidatura de Pedro Costa Ferreira à presidência da APAVT é do seu “profundo agrado” pois irá “evitar e amenizar males maiores que poderiam ser nefastos seriamente para as nossas empresas”. Por isso lhe declara apoio total “seja de forma pessoal como em nome da rede RAVT”.

Na comunicação enviada, Maria José Silva sublinha que a “direcção de uma associação não se resume a uma só pessoa ou ao seu líder”, e que “nem tudo foi positivo ou bem sucedido como se gostaria nesta direcção”, mas reconhece que “o empenho, a dedicação, o esforço de actuação em todos os assuntos e frentes foi notório”. A CEO da RAVT diz mesmo que a recandidatura de Pedro Costa Ferreira é, em si mesmo “um prenúncio que terá elementos dentro de uma determinada linha”, de continuidade relativamente ao actual mandato.

Na base do apoio à recandidatura de Pedro Costa Ferreira está a certeza de que os próximos dois anos serão ainda mais desafiantes para as agências de viagens, com o sector a precisar de todo o apoio e empenho por parte da sua associação. A entrada em vigor da “nova directiva de viagens e a alteração de legislação vária daí decorrente, os novos relacionamentos e procedimentos com a IATA e com as companhias aéreas, a TAP entre outras” são alguns dos desafios, a que Maria José Silva acrescenta ainda os “novos relacionamentos e formas de comercializar o alojamento”, bem como as eleições para a CTP e o relacionamento com a ECTAA. Por tudo isto, afirma: “é CRUCIAL que siga na frente de uma APAVT quem conheça bem estes dossiers, não só porque esteve envolvido anteriormente como também porque tem que ser profundamente conhecedor do mercado, bem aceite, que crie consensos”.

Considera ainda que “numa era em que a classe e o sector se revelam de fraca força e consideração, é conveniente munir-se de uma direcção, e principalmente, de uma liderança que demonstre know-how, ética, valores, formação superior e técnica, boa integração no mercado, com credibilidade conhecida, de forma a mostrar e provar que a operação e distribuição turística é um sector activo, dinâmico, empreendedor, conhecedor, atento, actualizado, integro, de confiança” e que se mova “em prol da comunidade dos agentes de viagens na sua globalidade”.

A responsável termina afirmando “acreditar que a liderança sob esta recandidatura se integra nestas necessidades onde as minhas empresas se enquadram”, motivo pelo qual apoia “totalmente” a candidatura de Pedro Costa Ferreira “seja de forma pessoal como em nome da rede RAVT”.