Receitas da Amadeus sobem 9,1% no 1º trimestre

A Amadeus anunciou sexta-feira os resultados referentes ao primeiro trimestre deste ano. Aumento de 9,1% nas receitas e de 5,3% em reservas aéreas através das agências de viagens, são dois dos dados em destaque. Os resultados da Amadeus nos três primeiros meses deste ano “reflectem um forte crescimento orgânico, reforçado pelas contribuições das suas recentes aquisições”, sublinha a Amadeus, destacando igualmente, em termos das suas áreas de negócio, que a “distribuição regista um resultado superior na sua indústria e o das soluções TI continua a ganhar ímpeto”. Entre os indicadores a merecerem destaque está o da receita que registou um aumento homólogo de 9,1% para 867,6 milhões de euros, com a empresa a explicar que “excluindo as aquisições da Newmarket Internacional e UFIS, o crescimento comparável foi de 7,4%”. No mesmo período, o EBITDA cresceu 8,7% em termos homólogos, alcançando os 351,4 milhões de euros – um crescimento que seria de 7,4% se fossem excluídas as aquisições, como explica a Amadeus. Relativamente ao negócio da distribuição, o total das reservas aéreas através de agências de viagens aumentou em 5,3% para 125,5 milhões, superando o sector, que cresceu apenas 4,4%, e registando um grande crescimento na América do Norte (+17,6%) – na Europa Ocidental foi registado um crescimento de 3,0%, enquanto no Centro, Leste e Sul, o aumento homólogo foi de apenas 0,7%. Ainda na área da distribuição, é de registar que a receita aumentou 6,5%, para 651,7 milhões de euros e que a quota de mercado cresceu em 0,1 pontos percentuais, para 39,9%. Já ao nível do negócio de soluções tecnológicas foi registada uma variação homóloga positiva da ordem dos 15,8% no número de passageiros embarcados, para 152,5 milhões, com as receitas a crescerem 18% para 215,9 milhões de euros. Na Europa Ocidental, os passageiros embarcados através da Plataforma Amadeus Altéa aumentaram 2,8% face ao mesmo período do ano passado, enquanto na Europa do Centro, Leste e Sul a progressão registada foi de 22,2%. O maior crescimento teve lugar na Ásia-Pacifico: +85,2%. M.F.