Receitas turísticas asseguram Plano Estratégico da RTL 2015-201Cruzeiros

“A utilização do fundo de desenvolvimento turístico da cidade de Lisboa terá como receita as contribuições dos turistas que nos visitam e como destino os investimentos que asseguram a sustentabilidade da cidade”, disse Fernando Medina, presidente da Associação Turismo de Lisboa, à margem da apresentação do Plano Estratégico para o Turismo da Região de Lisboa.
A requalificação do Cais do Sodré e Campo das Cebolas – complementando a intervenção já feita no Terreiro do Paço e Ribeira das Naus –; a criação de acessibilidades ao Castelo a partir do Campo das Cebolas, Mouraria e Graça; a instalação de um museu dedicado às Descobertas; a abertura ao público do Palácio Marquês de Pombal; o Centro Interactivo “Mitos e Lendas de Sintra”; e a melhoria da sinalética, são os projectos que a Associação Turismo de Lisboa apresentou como identificados no Plano Estratégico para o Turismo da Região de Lisboa e “necessários para a cidade”, a realizar este ano.
“Agora”, disse Fernando Medina na passada sexta-feira, durante a apresentação do Plano Estratégico, “vamos discutir com os parceiros em sede da ATL quais os prioritários que devem ser financiados desde já com recurso ao Fundo de Desenvolvimento Turístico”.
No documento está prevista também a “manutenção da aposta no marketing e na promoção de Lisboa, principalmente online, através do marketing de conteúdo, para passar da fase ‘ajudar a vender’ para a fase ‘ajudar a comprar’.
Serão também criados grupos de trabalho em conjunto com as câmaras municipais para o desenvolvimento da Arrábida e Arco do Tejo, incluindo os segmentos Turismo de Natureza, gastronomia e Vinhos, Turismo Equestre, Birdwatching e Turismo Náutico.
S.C.F.