Relatório da OCDE: AHRESP fala em ?ataque discriminatório ao turismo português?

Em comunicado emitido ontem a AHRESP insurge-se contra a proposta de aumento do IVA sobre a hotelaria que consta do relatório da OCDE conhecido esta semana, que na sua opinião ?visa efectivamente retirar competitividade às empresas turísticas que formam o Destino Portugal?. ?É com estupefacção que tomámos conhecimento das afirmações do relatório da OCDE?, refere o presidente da AHRESP, Mário Pereira Gonçalves, para quem ?esta sugestão de aumento da taxa de IVA nos serviços de Alojamento, não passa pela cabeça de ninguém, pois mataria o Turismo de Portugal, que tem por missão liderar as exportações e a política de crescimento?. Para a AHRESP, com esta proposta a OCDE ?está pura e simplesmente a colocar definitivamente em causa toda a competitividade de um sector nacional líder nas exportações?. A propósito, Mário Pereira Gonçalves recorda que ?o IVA médio na Hotelaria Portuguesa é de mais de 14%, pois incorpora a taxa máxima de 23% em todos os restantes serviços, nomeadamente os de alimentação e bebidas ou de aluguer de salas entre outros?. A Associação considera que esta não é uma proposta inocente, que ?visa efectivamente retirar competitividade às empresas turísticas que formam o Destino Portugal, numa actividade que necessariamente se pretende de valor acrescentado, em favor do Turismo? e que conduziria ?ao aumento do desemprego e à diminuição das receitas fiscais?, ao mesmo tempo que beneficiaria, de forma directa, os destinos concorrentes de Portugal em matéria de turismo. M.F.