Reservas turísticas: Chineses são quem mais recorre ao smartphone

Os chineses são quem mais utiliza o smartphone para a realização de reservas turísticas. A conclusão é de um estudo da consultora IPK International no 21º Fórum World Travel Monitor em Pisa, patrocinado pela ITB. O estudo, que avaliou as tendências do comportamento do turismo mundial em 2013, concluiu que nenhuma outra nacionalidade utiliza com tanta frequência smartphones ou tablets para fazer reservas turísticas como os chineses, que são responsáveis por 4% das reservas de viagens ao exterior realizadas através destes meios móveis. Seguem-se os Estados Unidos, Japão e Europa, caca um com 2%. Os turistas chineses são também dos que mais utilizam as redes sociais para as suas viagens, sendo líderes na utilização do Facebook, Skype, fóruns, blogues e outras redes quanto a viagens ao estrangeiro. Segundo o estudo, 95% dos chineses declararam ter preparado a sua viagem com chats no Skype, blogues ou Facebook. Em segundo lugar na utilização das redes sociais estão os europeus, com 39% e os norte-americanos, com 35%. A nível mundial, de acordo com o mesmo estudo, as reservas turísticas por internet atingiram os 65%, enquanto as efectuadas através de agências se ficou pelos 24%. A propósito deste indicador, Martin Buck, director do Competence Center Travel & Logistics da Messe Berlin comentou: “Nos mercados turísticos desenvolvidos, como por exemplo Alemanha e Grã-Bretanha, e também os Estados Unidos, a percentagem de reservas online, especialmente as realizadas com meios móveis, isto é, as que são feitas com smartphone ou tablet, é significativamente superior que nos novos mercados turísticos. Um motivo importante para que isso aconteça é que, justamente na Ásia, a infra-estrutura da telecomunicação em parte é ainda muito deficiente, o que impede a utilização em massa da ampla gama de dispositivos móveis. Na República Popular da China, porém, é apenas uma questão de tempo, até que os consumidores deste país disponham de todas as possibilidades para utilizar esse meio”.