Restauração é “protagonista e beneficiária” da recuperação económica

A “vitalidade admirável” do sector da restauração foi sublinhada pelo ministro  adjunto, Pedro Siza Vieira, na tomada de posse dos novos órgãos sociais da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), sexta-feira, em Lisboa. Fazendo o contraponto com os anos da crise, sublinhou a resiliência de empresas e empresários, e destacou que a restauração é “protagonista e beneficiária da recuperação económica”.

Na tomada de posse da AHRESP onde esteve em representação do Primeiro-ministro, Pedro Siza Vieira afirmou que “a vitalidade que este sector hoje apresenta é particularmente admirável se reflectirmos naquilo que no início do mandato anterior era o panorama com que este sector se confrontava”. Lembrou a propósito algumas das preocupações da AHREESP “há pouco mais de dois anos”, nomeadamente, “as dificuldades no acesso ao crédito, as falências, os encerramentos e a consequente criação massiva de desemprego”.

O actual governo, recordou, tomou medidas que em muito contribuíram para a recuperação do sector da restauração, como “a redução do IVA”, a abertura de “linhas de crédito para as PME”, “redução do PEC” e a “simplificação administrativa para a criação de empresas”.

Hoje, frisou “é bastante diferente o panorama com que a economia e o sector se confrontam”, dada a “situação económica distinta” e “verdadeiramente especial” que existe, dado o grande crescimento da economia que “assenta em bases muito saudáveis” como o “crescimento das exportações” muito “apoiado no investimento empresarial”. Um processo acompanhado por “uma criação muito importante de emprego e consequente redução de emprego” e uma “gestão rigorosa das finanças públicas”.

Para a recuperação económica tem contribuído em muito a actividade turística e a restauração. “O sector da restauração e bebidas e do turismo em geral, tem sido protagonista da recuperação económica mas também beneficiário” da mesma. Protagonista porque tem sido resiliente e tem aproveitado a disponibilidade dos que nos visitam e da população portuguesa que agora “está mais disponível” para “aceder àquilo que as empresas deste sector produzem”.

Agora “é o momento de formular planos e definir prioridades para os próximos tempos”, afirmou Pedro Siza Vieira que formulou “votos de que este momento possa contribuir para a criação de mais e melhor emprego”.

Ausentes da cerimónia, Presidente da República e Primeiro-ministro, enviaram mensagem aos novos corpos sociais da AHRESP. Na mensagem enviada, Marcelo Rebelo de Sousa sublinharia que os “empresários e todos quantos trabalham a restauração, hotelaria e turismo” têm motivos para demonstrar uma “confiança acrescida” no futuro do sector. Já António Costa, numa mensagem em vídeo, realçou o contributo do sector para o crescimento económico e aproveitou para saudar “todos os profissionais” e “todos os associados da AHRESP” por “tudo o que têm feito pelo nosso país” e pela “forma como resistiram aos anos difíceis da crise”.