Resultados do turismo algarvio “têm que ser partilhados por todos”

Até Outubro, o Algarve registou mais dormidas e proveitos que em todo o ano de 2015, tendo ultrapassado, pela primeira vez, a fasquia dos 17 milhões de dormidas. Os resultados são excepcionais e, como salientou ao Turisver.com o presidente da RTA, Desidério Silva, são resultado do trabalho e do esforço de todos quantos na região se envolvem na causa turística.

Ao Turisver.com, Desidério Silva destacou que “todos os números”, incluindo os do golfe, “acabaram por ultrapassar os de 2015” o que considerou “excelente”. A propósito sublinhou mesmo que “em 2013 tivemos 14,8 milhões de dormidas”, o que representa que “de 2013 para o final de Outubro de 2016 aumentámos cerca de 3 milhões de dormidas, o que é importantíssimo”.

Decisivas, afirmou, são as receitas que até Outubro somaram cerca de 863 milhões de euros, +19,1% em termos homólogos, enquanto o ano passado terminou com proveitos de 758 milhões de euros. Trata-se, afirmou o presidente da RTA, de um indicador importantíssimo numa região que pretende qualificar-se cada vez mais. Neste momento, afirmou, “há sinais muito positivos na região e a percepção que temos é que os agentes turísticos pensam que finalmente chegou a hora de pensar em requalificar e regenerar as suas unidades” e “apostar mais nos recursos humanos” que, disse, “são cada vez mais um factor diferenciador positivo de um destino turístico”.

“Há uma dinâmica muito interessante no Algarve neste momento”, considerou o responsável que enfatizou o facto de todos estes indicadores positivos serem “resultado do trabalho de muita gente” e, neste caso, de “um trabalho que valeu a pena”. Foi com este sentimento de um trabalho partilhado que o presidente da RTA escreveu uma carta aberta de agradecimento aos agentes turísticos da região. “Este sucesso não é apenas dos operadores, do aeroporto, da Região de Turismo ou da ATA, é um sucesso de todos aqueles que se envolvem na causa do turismo, de um conjunto de pessoas que, muitas vezes no anonimato, dão um contributo muito grande”. E afirma: “se este esforço tem sido um esforço partilhado, então os resultados, o sucesso, têm também que ser partilhados por todos”.

*Leia a entrevista na edição de Janeiro da Turisver