Rota Vicentina completa primeiro ano com balanço positivo

A cumprir o seu primeiro ano de existência, a Rota Vicentina merece um balanço positivo, uma vez que grande parte das empresas locais, que se encontram no percurso da rota, estão a sentir benefícios na sua facturação, existindo mesmo aumentos na ordem dos 40%. De acordo com Marta Cabral, coordenadora do projecto, o sucesso do percurso pedestre que percorre a costa alentejana, é ainda maior uma vez que os crescimentos registados se situaram essencialmente nos períodos de época baixa e média, o que ajuda a quebrar a sazonalidade na região. A Rota Vicentina é um percurso pedestre que se estende pela costa alentejana, ligando Santiago do Cacém, no Alentejo, ao cabo de São Vicente, no Algarve, num total de 340 quilómetros de caminhos sinalizados, ainda que, por enquanto, estejam apenas disponíveis 200 quilómetros em território alentejano, devendo os trilhos do Algarve, desde Odeceixe, estar disponíveis ainda durante esta Primavera. A Rota Vicentina foi pensada pela associação Casas Brancas, com sede em Odemira e que reúne empresários da área do turismo da costa alentejana e barlavento algarvio, com o objectivo de internacionalizar a região como destino para amantes da natureza. O projecto é resultado de uma parceria público-privada, que inclui, além da Casas Brancas, a Associação Almargem, autarquias, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas e a Entidade Regional de Turismo do Alentejo. I.M.