Rota Vicentina constitui nova associação

A Rota Vicentina, percurso pedestre que se estende pela costa alentejana, ligando Santiago do Cacém, no Alentejo, ao cabo de São Vicente, no Algarve, num total de 350 quilómetros, deu origem a uma nova associação, passando agora a integrar um total de 100 empresários do sector do turismo de toda a região e parceiros públicos. Concebido e coordenado pela Associação Casas Brancas, em parceria com a Associação Almargem, com as câmaras municipais, juntas de freguesia e entidades regionais de turismo do Algarve e do Alentejo, o projecto é agora alargado, o que é visto como ?uma evolução natural de um projecto que une toda uma região por uma causa comum e que serve a todos?, refere a Rota Vicentina em comunicado. A nova associação fica responsável pela promoção da Rota Vicentina, bem como pela monitorização e manutenção dos percursos, tendo também a seu cargo a sensibilização da população, empresas e instituições, o fomento do trabalho em rede e o apoio à comercialização. A Associação Rota Vicentina conta com cerca de 100 fundadores mas perspectiva para breve novas adesões, nomeadamente por parte de ?empresas de turismo e também de particulares que valorizam e se identificam com o espírito do projecto, além das principais instituições públicas da região e do sector?, lê-se na mesma informação. As primeiras eleições da Associação Rota Vicentina decorreram no passado dia 9 de Julho, tendo os órgãos sociais sido recentemente empossados, ainda que a Assembleia-Geral Constituinte tenha decorrido já a 5 de Junho. Marta Cabral, directora executiva e dirigente associativa das Casas Brancas, foi eleita presidente da Direcção da Associação Rota Vicentina, uma vez que tem sido a responsável pela coordenação de todo o projecto, enquanto Rudolf Muller, que foi durante 10 anos o presidente das Casas Brancas, é o vice-presidente. I.M.