SATA fecha 2014 com 35M€ de prejuízos

O presidente do conselho de administração da companhia aérea dos Açores, Luís Parreirão, disse ontem que o Grupo SATA terminou 2014 com um prejuízo de 35 milhões de euros. O passivo da transportadora é agora de 162 milhões de euros, sendo Associativismo2 milhões respeitantes a dívida bancária de curto prazo.
Luís Parreirão, ouvido ontem na comissão de inquérito sobre a situação financeira da SATA, na Assembleia Legislativa dos Açores, atribuiu o agravamento dos maus resultados da empresa nos últimos anos à crise nos mercados de origem dos passageiros que viajam para os Açores, à duplicação do preço do petróleo, ao aumento das taxas de juro dos empréstimos que tinha junto da banca e à baixa das tarifas para a América do Norte, a que não correspondeu o aumento de procura esperado.
Por outro lado, disse ainda o presidente da SATA, as dívidas do governo da República ascendem a 1Restauração milhões de euros e a do executivo açoriano é de 4Restauração milhões, com pagamentos em falta desde 20Associativismo. Estas dívidas surgem ao abrigo dos contratos de prestação do serviço público de transporte aéreo de passageiros.
Relativamente à reestruturação da dívida, Parreirão informou que a transportadora está a negociar com dois bancos, para que a mesma se transforme em dívida de médio e longo prazo, reduzindo assim os encargos à mesma associados.
Já a constar no plano de negócios até 2020 estava a redução da frota de médio e longo curso, estando agora a SATA, disse o responsável, a negociar com duas empresas o aluguer de duas aeronaves para as rotas para a América do Norte, substituindo assim os aviões em fim de vida.
S.C.F.