Secretária de Estado do Turismo visita EUA e Canadá até quinta-feira

A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, termina esta quinta-feira uma visita oficial aos Estados Unidos e Canadá, deslocação que se insere numa série de viagens oficiais que visam reforçar a presença de Portugal em mercados distantes mas estratégicos para a actividade turística.

Nesta viagem, a governante mantém contactos com operadores, companhias aéreas e jornalistas de forma a aumentar o awarness de Portugal em dois mercados emissores em franco crescimento no nosso país mas ainda com um grande potencial de progressão.

Tanto em Nova Iorque como em Toronto e Montreal, estão em agenda workshops com empresários portugueses e norte-americanos, promovidos pelo Turismo de Portugal, e reuniões com companhias aéreas. A estes junta-se, na cidade norte-americana, um encontro com produtores de cinema no sentido de, à semelhança do que aconteceu na Índia, na China e na Coreia, promover Portugal como destino de filmagens.

De acordo com Ana Mendes Godinho, “O mercado norte-americano é bastante importante, pois são turistas que viajam ao longo de todo o ano com especial incidência no nosso Inverno e com um elevado poder de compra”, para destacar que “se é verdade que os resultados deste mercado já começam a ter expressão, com taxas de crescimento que ultrapassam os 30%, estão ainda aquém do que podemos conseguir” daí ser “preciso dar a conhecer o país e reforçar as ligações aéreas para outras cidades dos Estados Unidos”.

Refira-se que em 2016, o mercado dos EUA representou 506 mil hóspedes, 1,1 milhão de dormidas e 593 milhões de euros de receitas. Nos primeiros sete meses de 2017 registam-se aumentos de 33,3% nos hóspedes (367 mil), 30% nas dormidas (845 mil) e de 37,4% nas receitas (442,2 milhões de euros).

Apesar de menos expressivo do que o americano (361 mil dormidas e 123 mil hóspedes de Janeiro a Julho de 2017), o mercado do Canadá está com aumentos superiores a 20% e, à semelhança do mercado dos Estados Unidos, tem um gasto per capita alto e viaja bastante na época baixa. Neste sentido, a secretária de Estado do Turismo considera que “no Canadá é necessário um esforço maior, nomeadamente em ligações aéreas que permitam a vida de turistas durante todo o ano”.