Sector corporativo: Tendência de queda de custo por participante na Europa

O panorama do sector corporativo para o próximo ano é encorajador de uma forma geral, apesar de haver diferenças entre as várias regiões do mundo. A nível mundial, as perspectivas de preços para reuniões e eventos são variados, com a Europa a ter um crescimento lento mas constante, pelo que os compradores ganham maior poder negocial.

O relatório anual da Carlson Wagonlit Travel (CWT) indica que na Europa, apesar da economia ter registado ligeiras melhorias, os compradores continuam cautelosos em relação a uma possível nova recessão. Isto está a causar uma tendência para a realização de reuniões em território nacional com as empresas a tentar conter os custos. A tendência é que o tamanho das reuniões aumente 1,2%, mas o custo por participante/dia diminua 0,4%.

Por outro lado, a procura pela América do Norte, tanto do viajante individual como em grupo, continua a crescer a uma taxa superior à nova oferta, e o resultado é um mercado desafiante para os organizadores de eventos, ou seja, neste continente existe uma tendência de aumento de reuniões domésticas em 2015. No entanto, no capítulo das viagens de incentivo, os destinos internacionais são os mais populares. Aqui a dimensão das reuniões subirá sobe 2% e o custo por participante/dia 4,5%.

Na América Latina, o cenário está a mudar à medida que os fornecedores oferecem melhores preços e condições mais favoráveis aos organizadores de reuniões. O crescimento das reuniões da indústria farmacêutica deve continuar, devendo as empresas com sede na América do Norte expandir o seu programa de reuniões e eventos e a sua visibilidade junto dos mercados latino-americanos. Nesta região, tem-se constatado a procura de hotéis de categoria média para reduzir custos. Espera-se que o tamanho das reuniões caia 1,5% e os gastos aumentem 1%.

Na economia imprevisível Ásia-Pacífico os medos relacionados com a saúde podem limitar o crescimento global da região em relação ao sector corporativo. No entanto, a procura forte da China e da Índia fará subir os preços e o tamanho dos grupos, o que deverá compensar toda a região. Prevê-se um aumento do número de participantes em 11% e um crescimento do custo diário em 5%.