SET diz que excesso de oferta imobiliária prejudica turismo no Algarve

O secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, afirmou ontem que o excesso de oferta imobiliária no Algarve contribui decisivamente para os maus resultados das empresas turísticas da região, garantindo que, durante o seu mandato, os apoios para a construção serão redireccionados para a requalificação. As receitas no turismo crescem, o número de dormidas cresce, o número de turistas cresce e aquilo que desce são os proveitos da hotelaria, precisamente porque, com o excesso de oferta que há e com a concorrência, os preços tiveram de baixar”, afirmou Adolfo Mesquita Nunes à Lusa, à margem da apresentação do programa Formação Algarve, que decorreu ontem, em Faro. De acordo com Mesquita Nunes, o problema surge do facto de, durante anos, os sucessivos governos terem incentivado à construção, o que resultou num excesso de oferta que está agora a prejudicar o turismo, nomeadamente a hotelaria, que se viu obrigada a baixar preços. O responsável frisou ainda que o crescimento do turismo internacional tem conseguido compensar as quebras do turismo interno, o que significa que há um crescimento dos mercados emissores e mais turistas por ano. Adolfo Mesquita Nunes marcou ontem presença na apresentação do programa ?Formação Algarve?, que contempla um investimento de dois milhões de euros destinado a acções de formação profissional para desempregados na época baixa e ao apoio à renovação ou conversão de contratos de trabalho a termo. I.M.