SET quer agências a serem “cada vez mais instrumentos de exportação”

Ao intervir na tomada de posse dos novos órgãos sociais da APAVT, a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, deixaria um repto às agências de viagens para que sejam “cada vez mais nossos instrumentos de exportação”.

“Se o turismo é, de facto, esta indústria que permite que trazendo as pessoas cá dentro elas façam exportação, contribuindo decisivamente para o aumento da balança, lanço aqui um repto às agências de viagens para que sejam cada vez mais dinamizadoras deste aumento das exportações, trazendo cada vez mais pessoas para dentro de Portugal e sendo montras” do país, disse Ana Mendes Godinho esta quinta-feira, 11 de Janeiro, na tomada de posse dos novos órgãos sociais da APAVT.

Na mesma linha, pediu também às agências de viagens que assumam “este ano o compromisso de serem cada vez mais dinamizadores da operação turística nas regiões menos tradicionais”. Um compromisso que, lembrou, a própria APAVT assumiu o ano passado “logo após os incêndios” na região Centro.

Onde vai ser o próximo congresso da APAVT é algo que ainda não se sabe mas, na sua intervenção, Ana Mendes Godinho deixaria «escapar» que “o Congresso no Centro será também uma oportunidade óptima para mobilizarmos este tipo de construção e dinamização da operação turística nas regiões que não estão tão habituadas a ter este tipo de experiência ou produto feito pelas agências de viagens”.

Na sua intervenção, a governante abordaria os “óptimos resultados” do ano turístico que findou e afirmaria que a importância do turismo nunca foi tanta, algo que, sublinhou, implica uma maior responsabilidade.

Sobre o ano que agora se inicia deixaria claro que “a prioridade máxima para 2018 é a valorização das pessoas do turismo e a promoção da sustentabilidade do turismo em todo o território português”.