Soltrópico já levou mais de mil portugueses este ano a S. Tomé e Príncipe

“Já passámos a barreira dos mil passageiros portugueses para S. Tomé e Príncipe este ano, mas falta contabilizar os números do réveillon, altura também de grande fluxo”, afirmou Nuno Anjos, director Comercial da Soltrópico.

O responsável do operador turístico, que falava aos jornalistas numa Conferência de Imprensa, que antecedeu o roadshow sobre este destino turístico, em Lisboa, referiu que os números deste ano representam um crescimento de 18%.

Nuno Anjos esclareceu ainda que “S. Tomé e Príncipe é um destino de nichos, por isso não massificado, em que o factor é fundamental, e a Soltrópico mantém uma boa relação qualidade/preço”, com o destino a ser comercializado nesta altura do ano desde 779 euros, e para o réveillon, desde 1.038 euros.

  1. Tomé e Príncipe faz parte do portfólio do operador há mais de duas décadas. “É uma aposta da Soltrópico enquanto empresa, pela extensa programação que oferecemos, mas também pelas diversas parcerias de responsabilidade social”.

Dar a conhecer aos agentes de viagens este destino africano e os novos projectos turísticos que estão em desenvolvimento, foi o objectivo do roadshow da Soltrópico, que percorreu as cidades de Coimbra, Porto, e terminou esta quarta-feira em Lisboa, com a presença de um total de 300 profissionais. Estas sessões contaram com o apoio dos grupos hoteleiros Pestana e HBD, e das transportadoras aéreas TAP (que oferece três voos semanais, via Accra) e STP Airways (que tem uma ligação semanal directa desde Lisboa).

Na Conferência de Imprensa, que contou também com a presença do embaixador de S. Tomé e Príncipe em Portugal, Luís Viegas, o supervisor de Vendas e Marketing do grupo sul-africano HBD anunciou a construção de um novo resort de luxo na ilha do Príncipe, constituído por 15 tendas de luxo na praia e com todas as infra-estruturas e serviços de alta qualidade, e que compreende ainda a recuperação da casa principal da roça Sundy. Por outro lado, em colaboração com a Universidade dos Açores, este grupo está a levar a cabo um programa de formação na área do turismo naquele país.

Por seu turno, o director-comercial do Pestana Hotéis África, Luís Vasconcelos informou que o grupo empreender um processo de remodelação de duas das três unidades hoteleiras que possui em S. Tomé e Príncipe: o Pestana Miramar em S. Tomé e o Pestana Equador no ilhéu das Rolas.

O embaixador Luís Viegas deu conta dos passos que o seu governo tem vindo a empreender rumo a erradicação total da malária em S. Tomé e Príncipe, e da nova política de vistos de entrada no país. S. Tomé e Príncipe decidiu ausentar da necessidade de vistos de entrada a todos os turistas da União Europeia e dos Estados Unidos da América, bem como a todas as outras nacionalidades desde que sejam portadoras de um visto da EU ou EUA, para estadias iguais ou inferiores a 15 dias.