Solução para Hotel Turismo da Guarda deve passar pelo Revive

A Câmara da Guarda anunciou que está previsto que a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, se desloque esta terça-feira à cidade para proceder ao lançamento do concurso público para a concessão do Hotel Turismo da Guarda a privados.

De acordo com a imprensa da região, aquela unidade hoteleira, encerrada desde 2010, deverá ficar assim abrangida pelo programa “Revive”, que visa abrir o património ao investimento privado para desenvolvimento de projectos turísticos. A concessão será feita, por concurso público, a investidores nacionais e estrangeiros.

Assim o impasse que persistia sobre o futuro daquela unidade hoteleira poderá chegar ao fim. Nova solução para o hotel foi anunciada pela secretária de Estado na sessão inaugural da Feira Ibérica de Turismo, “novo projecto que pretende que seja não só um hotel”, mas também “um espaço de formação de estágios e de formação de final de curso para aqueles que já estudam na região”.

O edifício do Hotel de Turismo da Guarda foi vendido em 2010 pela Câmara da Guarda, então liderada por Joaquim Valente, ao Turismo de Portugal, por 3,5 milhões de euros, para ser recuperado e transformado em hotel de charme com escola de hotelaria, mas o projecto não saiu do papel e o imóvel está de portas fechadas e a degradar-se.

Em 2015, a Direcção-Geral do Tesouro e Finanças realizou uma hasta pública para venda do edifício que ficou deserta. O imóvel foi posteriormente colocado à venda, pelo valor de 1,7 milhões de euros, através de um concurso público de arrendamento com opção de compra, mas a empresa interessada no negócio acabou por desistir.