Taça das Confederações animou economia e turismo brasileiros

A Taça das Confederações animou a economia e o turismo brasileiros, com a Embratur a estimar que os turistas que estivarem de visita ao país para assistir aos jogos desta competição tenham realizado gastos 106 milhões de euros no comércio local, entre turistas internacionais e brasileiros. De acordo com os cálculos da Embratur, com base no número de turistas e no tempo de permanência do visitante nas cidades que sediaram os jogos, além dos gastos das delegações e selecções, o impacto económico será de 106 milhões de euros, com a permanência dos turistas estrangeiros a rondar os 10 dias, enquanto os turistas brasileiros permaneceram, em média, três dias no local do jogo. ?Estes números mostram como os mega-eventos trazem um retorno directo à economia local. Uma parte importante destes recursos vai directamente para o bolso dos comerciantes locais, vendedores de rua e pequenos empreendedores?, avalia o presidente da Embratur, Flávio Dino. Por cidades, a Embratur estima que, na Taça das Confederações, a cidade do Rio de Janeiro seja a que maior partido tire com os gastos dos turistas, estimando-se que os 4.748 visitantes estrangeiros realizem gastos de perto de 10 milhões de euros, seguindo-se Fortaleza, com 4.193 turistas, que devem deixar na cidade perto de seis milhões de euros, enquanto Belo Horizonte deverá ser a terceira cidade mais beneficiada, com 2.183 turistas e perto de quatro milhões de euros de gastos. O gasto total dos turistas estrangeiros é de cerca de 24 milhões de euros, enquanto os turistas brasileiros devem ter gasto 59 milhões de euros durante os quinze dias do torneio. Estima-se ainda que os gastos em alojamento e alimentação das delegações e selecções rondem os 24 milhões de euros. Apesar de muito positivo, Flávio Dino acredita que o retorno financeiro dos outros grandes eventos desportivos que o Brasil tem agendados será muito superior ao da Taça das Confederações, uma vez que, considera o responsável, este é um evento mais voltado para o público interno. No total, foram vendidos 13.759 ingressos para os jogos da Taça das Confederações a visitantes estrangeiros, aos quais se juntam os 111.569 bilhetes adquiridos pelos adeptos brasileiros. I.M.