TACV fecha operações domésticas mas mantém voos internacionais

O ministro da Economia e Emprego de Cabo Verde, José Gonçalves, anunciou que a companhia aérea de bandeira TACV vai fechar as operações domésticas a partir desta terça-feira, continuando, no entanto, a operar a nível regional.

O fecho das operações domésticas é um dos pontos da reestruturação da companhia aérea pública cabo-verdiana.

As ligações entre as ilhas cabo-verdianas, que até à entrada da Binter em Cabo Verde, em 2016, eram asseguradas em regime de monopólio pela TACV, passam a partir do dia 1 de Agosto a ser asseguradas novamente sem concorrência, agora pela Binter. Segundo o governo, o acordo prevê um reforço das ligações para todas as ilhas com aeroportos e articulação com os transportes marítimos para as ilhas da Brava e Santo Antão, que não têm aeroporto.

Entretanto, a transportadora aérea cabo-verdiana TACV vai manter apenas os voos internacionais, com o Governo ainda em negociações para encontrar um parceiro estratégico que assegure a gestão e parte do capital.

A TACV tem actualmente uma dívida acumulada de 100 milhões de euros, que continuará a ser assumida pelo Estado mesmo após a privatização da parte internacional.

Entretanto, o governo cabo-verdiano autorizou a TACV a contrair um empréstimo bancário de 1,7 milhões de euros junto do Banco Privado Internacional (BPI).