TAP: taxa sobre cartões de crédito contestada no Brasil

Desde o passado dia 27 de Novembro, a TAP passou a cobrar uma taxa de 1,95% sobre o valor dos bilhetes pagos com cartão de crédito. A Abracorp – Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas, já criticou a decisão da companhia aérea.

Segundo a TAP, a implementação desta taxa sobre as compras feitas por cartão de crédito “pretende dar maior transparência à relação com seus clientes” que assim poderão “decidir a melhor forma de efectuar o seu pagamento de acordo com sua comodidade e conveniência, sabendo exactamente quais os custos envolvidos”.

Contra a medida, que classifica como “estranha”, está a Abracorp que emitiu mesmo um comunicado em que alerta para aspectos negativos da introdução da taxa, nomeadamente, e segundo relata o site brasileiro especializado em turismo, Panrotas Corporativo, o aumento de “custos para financeiros para o cliente e operacionais para as agências” e o “timing na comunicação”, que considerou ser demasiado curto face à sua entrada em vigor. Por outro lado, a associação entende que a utilização de cartão de crédito neste tipo de transacções é eficaz, minimiza riscos de fraude e torna o processo de compra transparente.

Em resposta às críticas, Mário Carvalho, director da TAP no Brasil, frisa que a medida não é válida apenas no Brasil mas também nos restantes mercados onde apenas os pagamentos em cash ou facturado estão isentos do pagamento desta taxa.