Taxa turística rendeu 11,2 M€ a Lisboa até Outubro

De Janeiro a Outubro do ano passado, a Câmara Municipal de Lisboa arrecadou 11,2 milhões de euros com a cobrança da taxa turística sobre as dormidas de turistas na capital, anunciou a autarquia na passada sexta-feira.

Em nota enviada à Agência Lusa, a autarquia explica que “segundo os números disponíveis à data (referentes a Outubro), a Taxa Municipal Turística atingiu cerca de 11,2 milhões de euros”, faltando ainda apurar os pagamentos dos meses de Novembro e Dezembro para que se possa apurar o rendimento do ano, o que deverá acontecer ainda durante o primeiro mês de 2017.

O documento enviado à Lusa adianta que 7,7 milhões de euros dizem respeito à cobrança da taxa em estabelecimentos hoteleiros, enquanto os restantes 3,5 milhões de euros foram cobrados em unidades de alojamento local, aqui se incluindo 1,2 milhões de euros recolhidos no âmbito do acordo entre a Câmara de Lisboa e a Airbnb, mas apenas referente aos meses entre Maio e Setembro.

O Orçamento da CML para 2017 estima uma receita de 15,7 milhões de euros para as taxas turísticas, com metade do valor referente às dormidas de turistas na cidade, e o restante a porvir das chegadas ao aeroporto e ao porto de Lisboa, mas estas últimas não se sabe ainda como serão aplicadas.

Recorde-se que no passado domingo, 1 de Janeiro de 2017, passou exactamente um ano sobre o início da aplicação desta taxa que abrange as dormidas de todos os turistas (nacionais e estrangeiros) na hotelaria e unidades de alojamento local da capital. A taxa cobrada é de 1€ por pessoa, noite, não podendo exceder o máximo de 7€. O valor arrecadado reverte para o Fundo de Desenvolvimento Turístico de Lisboa que tem em carteira investimentos em projectos como a requalificação do Palácio Nacional da Ajuda, a criação do Museu Judaico de Lisboa, em Alfama, o Centro Interpretativo da Ponte 25 de Abril e o terminal de actividade marítimo-turística, na antiga estação fluvial Sul e Sueste, entre outros.