TFV fornece software de gestão a pequenas empresas associadas da APAVT

A Associação Portuguesa de Agências de Viagens e Turismo (APAVT) e a TFV – Sistemas de Informação, estabeleceram um protocolo que visa equipar as micro e pequenas empresas associadas da APAVT com o software de gestão triPoint “a preços extremamente reduzidos”, como sublinhou ontem Pedro Costa Ferreira, presidente da APAVT. Como destacou Pedro Costa Ferreira, este protocolo pretende apoiar a gestão das empresas “mais frágeis”, aquelas que apresentem vendas anuais até um máximo de 10 milhões de euros e que tenham até 50 colaborares, através de um software que, considerou o responsável, “é uma referência no mercado”, estando actualmente instalado em cerca de 300 balcões nacionais. “Cada vez mais, as questões da produtividade e rentabilidade, bem como dos softwares necessários a essa mesma produtividade, estão na ordem do dia. Acresce, neste momento, uma necessidade especial, uma vez que, do ponto de vista das relações com as autoridades tributárias e com o Banco de Portugal, se avançou este ano com novas exigências do ponto de vista estatístico”, referiu Pedro Costa Ferreira, demonstrando assim a importância do software que agora será disponibilizado por “um valor simbólico”. Com o triPoint, explicou Paulo Barreiros, director da TFV, as agências de viagens podem fazer “uma gestão integral da sua actividade”, sendo também possível realizar reservas por contacto aos grandes players. “Este software faz uma gestão integral do ponto de vista financeiro e operacional, bem como de conexão com outras entidades, nomeadamente GDS’s, gestores de hotéis ou rent-a-car. Ou seja, é a consola central pela qual se gere um fax, se emitem facturas, se enviam relatórios para o Banco de Portugal, se enviam os SAFT para as Finanças, como também se podem fazer reservas por contacto aos grandes players, como os GDS’s ou as centrais hoteleiras. É o software central de qualquer agência ou operador”, explicou Paulo Barreiros. Com este protocolo, a APAVT disponibiliza um total de 33 pacotes de três licenças de software por um preço de 180 euros, um “valor simbólico” que, referiu Pedro Costa Ferreira, representa um desconto de 97,5% face ao preço de tabela deste software, que tem um preço de 2.400 euros por cada licença. Depois das primeiras três licenças, as empresas podem também multiplicar os pacotes, gozando de um desconto de 50% nas licenças. “Do ponto de vista da APAVT, estamos muito satisfeitos e conscientes de que demos mais um passo em ordem a tornar a vida dos nossos associados mais fácil, ou numa expressão mais adaptada à realidade, um pouco menos difícil”, resumiu Pedro Costa Ferreira. I.M.