Tivoli Hotels & Resorts com ocupação de 61% em 2013

A Tivoli Hotels & Resorts fez ontem um balanço positivo do ano passado, com a ocupação das unidades da cadeia em Portugal e no Brasil a registarem uma ocupação de 61%, segundo Alexandre Solleiro, CEO da Tivoli Hotels & Resorts. “Fizemos o nosso objectivo em 2013. Cumprimos as metas”, afirmou o responsável durante o habitual almoço de Reis que a Tivoli promove anualmente para a comunicação social, dando também conta que as receitas e o preço médio se mantiveram semelhantes aos de 2012. O CEO da cadeia mostrou-se satisfeito por ter sido possível cumprir as metas estabelecidas, isto apesar do crescimento “desmesurado” da oferta em território nacional, que impediu que a Tivoli registasse a “progressão esperada”. De acordo com Alexandre Solleiro, em Portugal, a ocupação dos hotéis Tivoli subiu meio ponto face a 2012, com o número de dormidas a fixar-se nas 500 mil, com destaque para o Reino Unido, que registou um crescimento de 13% em roomnights no ano passado, afirmando-se como o mercado que mais cresceu e representando 22% do total de dormidas das unidades da cadeia em Portugal. Já o mercado nacional, que mantém a segunda posição entre os principais mercados da Tivoli Hotels & Resorts, com 16% do total de dormidas nas unidades da cadeia em território nacional, caiu 28% no ano passado, sendo, juntamente com Espanha, os únicos mercados a apresentarem retracção no ano passado. “Portugal e Espanha foram os mercados que caíram em Portugal”, revelou Solleiro, dando conta de uma descida de 6% no mercado espanhol em roomnights mas afirmando, no entanto, que o mercado espanhol está já a recuperar, como foi visível no período de Natal e reveillon. “Espanha é o nosso terceiro mercado estrangeiro, é e sempre foi um mercado muito forte para nós. De 2011 para 2012 tinha baixado muito, quase 20%, mas este ano baixou menos a partir de Outubro e no Natal e reveillon já se notou que tivemos mais clientes espanhóis”, afirmou o CEO da cadeia. Em número de noites, o segundo mercado estrangeiro para a Tivoli é a Alemanha, com um peso de 12%, seguindo-se Espanha, que é o terceiro mercado, com 6% das dormidas, bem como o mercado brasileiro, que representou 4% das roomnights em hotéis da cadeia em território nacional, assim como França e Benelux, também com um peso de 4%. Além do crescimento no mercado britânico, a Tivoli registou também crescimentos no mercado alemão, que subiu 3% em dormidas, ainda que os mercados que maior crescimento apresentaram tenham sido o escandinavo, o angolano e o austríaco. Já as unidades que a cadeia possui no Brasil viram as receitas subir 18% no ano passado, sendo que também a nível da ocupação o balanço é positivo, com a média a apresentar-se idêntica à dos hotéis nacionais. No Brasil, o principal mercado da Tivoli Hotels & Resorts é o doméstico, seguindo-se o português no Tivoli Praia do Forte, que subiu 30% em 2013. E também na unidade de São Paulo o mercado português é um dos mais fortes, surgindo em terceiro lugar, o que Alexandre Solleiro explica pelo facto de os portugueses tenderem a optar por unidades de cadeias nacionais. I.M.