TP debateu casos de sucesso no turismo industrial

O Turismo de Portugal (TP) promoveu ontem uma conferência sobre as apostas de sucesso no turismo industrial de S. João da Madeira e Marinha Grande, iniciativa que contou também com a apresentação do projecto de Sines e que pretendeu reforçar a importância deste segmento, principalmente em regiões onde a actividade turística está ainda pouco desenvolvida. Apontado como um segmento que ?enriquece a proposta que os destinos querem formatar?, ?proporciona experiências genuínas? e ?ajuda a dar visibilidade à oferta?, como referiu Teresa Ferreira, directora do Departamento de Desenvolvimento e Inovação do TP, o Turismo Industrial está ainda em desenvolvimento, com poucos casos de sucesso a nível nacional. Um dos projectos que merece destaque é o que a Câmara Municipal de S. João da Madeira lançou em Janeiro de 2012, denominado ?Circuitos pelo Património Industrial? e que é já apontado como uma referência a nível nacional. ?São João da Madeira não tem o mais comum dos turismos mas começou, desde 2005, a ter um turismo mais tecnológico e houve a necessidade de encontrar uma solução para atrair pessoas para visitar a cidade?, começou por explicar Alexandra Alves, responsável pelo Turismo Industrial da Câmara Municipal de S. João da Madeira. Sem uma oferta direccionada para um segmento específico, S. João da Madeira tinha também uma reduzida procura turística, motivo pelo qual a autarquia resolveu elaborar um plano estratégico com vista à aposta nas infra-estruturas industriais. ?[O projecto]deu uma dimensão turística a S. João da Madeira, aproveitando os recursos industriais para aumentar as dormidas?, disse a responsável, referindo que o projecto serviu também para dar ?visibilidade à indústria?, potenciando ?o aumento do número de visitantes?. O projecto conta com a adesão de nove parceiros e soma já mais de 30 mil visitantes, contando com o apoio de uma central de reservas, loja interactiva, informação para iPod e guias especialmente formados no âmbito deste projecto. Em destaque esteve também o projecto lançado já este ano pela Câmara Municipal da Marinha Grande, em colaboração com 10 empresas de vidro, moldes e plásticos da região, com o objectivo de aliar as infra-estruturas industriais ao turismo. ?A ideia surgiu porque o core business da Marinha Grande é a indústria e sentimos a necessidade de aliar a indústria ao turismo?, explicou Pedro Nuno Jerónimo, chefe de Divisão de Cidadania e Desenvolvimento da Câmara Municipal da Marinha Grande. Além de estimular a actividade turística, o projecto pretende também contrariar a sazonalidade e dinamizar a economia local, motivo pelo qual foram criados três circuitos dedicados à indústria do vidro, moldes e plásticos que, além das visitas às fábricas, incluem também outras actividades, como passeios e ofertas gastronómicas. A conferência contou ainda com a apresentação do projecto-piloto que une o Sines Tecnopolo e a refinaria da Galp, iniciativa que está ainda em ?fase de preparação?, como disse Mónica Morais de Brito, directora executiva do Sines Tecnopolo. ?Estas valências podem ser aproveitadas para potenciar o turismo?, disse a responsável, explicando que, apesar de Sines ser já um destino turístico, que tira partido da oferta do litoral alentejano, este projecto será importante para ?esbater a sazonalidade e aumentar a estada média dos visitantes?. Quando estiver concluído, o projecto deverá contar com uma plataforma multimédia com informação online, visitas virtuais e marcação de visitas, estando aberto à adesão de outras empresas além da Galp. I.M.