TP e UNESCO lançam manual gestão sustentável do Património Mundial

O Turismo de Portugal (TP) e a UNESCO lançaram ontem, em Lisboa, um manual de boas práticas para a gestão sustentável de recursos culturais e patrimoniais, uma publicação que se destina aos gestores dos 40 sítios Património da Humanidade de origem e influência portuguesa em todo o mundo. O objectivo do manual, explica o TP em comunicado, é aumentar as competências das entidades gestoras destes sítios para “planearem e gerirem o turismo de uma forma mais sustentável em benefício das comunidades locais e dos seus visitantes, conciliando a preservação do património com os seus potenciais benefícios económicos a longo prazo”. A publicação, disponível em português e em inglês, reúne as conclusões do projecto de parceria “Gestão Turística dos Sítios Património Mundial de Origem e Influência Portuguesa” desenvolvido ao longo de dois anos entre o Turismo de Portugal e a UNESCO, através do Centro do Património Mundial. O projecto pretende desenvolver competências adequadas à realidade de cada localização, que permitam a gestão integrada dos sítios, o envolvimento das partes interessadas, a monitorização de objectivos, a interpretação dos sítios e a escolha de mensagens, além da identificação de atracções turísticas e da criação de produtos turísticos. As melhores práticas de gestão destes recursos foram já identificadas e testadas com recurso a três estudos de caso representativos, como é o caso do Forte de Mombasa, no Quénia, do Centro Histórico de Évora e dos Sítios Arqueológicos do Vale do Côa, cujos resultados são agora disponibilizados aos gestores dos 40 sítios. O projecto arrancou no primeiro semestre de 2011 e integrou dois workshops em Lisboa e em Évora, acompanhados por especialistas da UNESCO, nos quais participaram os representantes de todos os sítios classificados como Património Mundial, portugueses e de origem ou influência portuguesas. Recorde-se que, por todo o mundo, existem 40 sítios de origem e influência portuguesa classificados pela UNESCO como Património das Humanidade, dos quais 14 estão localizados em Portugal, enquanto os restantes 26 estão espalhados por 18 países dos quatro continentes. I.M.