Travelport promove estudo sobre impacto da tecnologia móvel no turismo

O estudo foi promovido em parceria com a ACTE – Association of Corporate Travel Executives e revela que o uso das tecnologias móveis está a transformar a indústria do turismo, nomeadamente no que se refere às viagens corporativas. Com 89% dos inquiridos a referir que a tecnologia móvel está a ter um impacto moderado ou significativo no turismo empresarial, o estudo revela ainda que uma em quatro empresas já tem uma política para as viagens corporativas e que mais de metade (57%) afirma pretender adoptar uma estratégia para esta área. Ficou ainda demonstrado que 39% das empresas continuam a preferir ceder aos seus colaboradores telemóveis empresariais, enquanto 51% dá a opção de escolha às equipas (podem utilizar o seu dispositivo ou o da empresa). Os BlackBerrys continuam a ser a marca preferida para as empresas, mas os iPhones estão a ganhar popularidade, assim com os smartphones Android, sendo que apenas 16% dos gestores referiram que o telemóvel cedido aos colaboradores não era um smartphone. Quanto às aplicações, apenas 24% das empresas encoraja a sua utilização sem qualquer tipo de restrição. No que toca à compra de bilhetes de avião, o estudo refere que os inquiridos preferem ainda assim contactar uma agência de viagens, telefonando ou enviando e-mail, do que utilizando aplicações para fazer as reservas. Relativamente às informações que as empresas fornecem aos seus colaboradores após a reserva de viagens, os dados sobre os vistos surgem em primeiro lugar (59%), seguidos pela vacinação (41%), informações meteorológicas (40%) e mapas das cidades (37%). A maioria dos inquiridos permite que os colaboradores escolham serviços auxiliares, como bagagem extra, wi-fi no quarto de hotel, embarque prioritário ou pequeno-almoço, caso não esteja incluído, no entanto 26% do painel refere que não permite que sejam os colaboradores a efectuarem as reservas. A pesquisa foi efectuada junto de responsáveis de empresas que fazem a gestão de viagens empresariais. O universo de inquiridos contemplou diferentes sectores de actividade e empresas sediadas em sete mercados: E.U.A., Canadá, Austrália, Alemanha, Reino Unido, Índia e China. M.F.