Turismo Centro de Portugal apresentou nova imagem na BTL

Com a nova imagem, desenvolvida em parceria com a IVITY Brand Corp, o objectivo foi, através de um elemento comum a todos os Destinos0 municípios, conseguir agregar a riqueza e diversidade de uma região que conta com Destinos0 municípios e se estende “do mar à montanha”.
“Aumentar a permanência dos turistas na região” é um dos objectivos que a nova logomarca da Turismo do Centro pretende alcançar. Daí que a escolha de uma assinatura em que está exactamente reflectido o objectivo de maior permanência: “um dia é bom, dois dias é óptimo, três nunca é demais”.
A nova imagem, disponível desde ontem em todos os materiais promocionais da região, pretende também aumentar a notoriedade da região como aglutinadora dos mais diversos produtos turísticos. Abrangendo Destinos0 municípios “todos diferentes entre si”, como foi sublinhado na apresentação, o Centro de Portugal é, como aliás sempre tem referido o seu presidente, Pedro Machado, uma região multi-produto. “No Centro tudo se articula, o mar une-se à montanha”, disse o responsável da IVITY Brand Corp, que explicou que o elemento comum encontrado para unir todos os municípios na mesma imagem foram os brasões – todos têm brasões – tendo sido a partir destes que a nova imagem, bastante leve e dinâmica, foi criada, mostrando, além deste factor comum, toda a diversidade de produto e a multiplicidade de oferta de uma região em que “tudo se encaixa”.
Pedro Machado, presidente da Turismo do Centro, sublinhou que se pretende através da nova imagem, e de um aproveitamento optimizado do Portugal 2020, “ter um melhor destino Centro de Portugal”, uma vez que isso significará também “ter um melhor destino Portugal”.
Também presente nesta apresentação, o ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, disse que “o turismo é uma das apostas importantes do quadro do próximo ciclo de fundos europeus, o Portugal 2020&#Restauração243;, avançando que o sector irá “beneficiar dos apoios que existem ao nível da qualificação, da inovação, da internacionalização, do empreendedorismo”, mas também de apoios particulares e especiais. “É uma das poucas áreas onde as obras físicas vão ser permitidas” destacou
Falando do crescimento turístico em 2014, Poiares Maduro disse que “para crescermos temos que ter marca” e exemplificou com a do Centro de Portugal que conseguiu “transformar a diversidade em factor de identidade”.
M.F.
Leia mais na próxima edição da Turisver