Turismo ganha protagonismo na criação de empresas

O turismo é um dos sectores responsáveis pela criação de mais empresas em Portugal entre 2007 e 2016, revela o estudo da Informa a D&B intitulado “10 alterações na dinâmica do tecido empresarial português na última década”. O documento revela que nesse período foram criadas em Portugal cerca de 347 mil empresas, estando 64% ainda em actividade. Os sectores ligados ao turismo ganharam protagonismo, em detrimento da construção.

Os serviços (31,5%) e o retalho (13,6%) mantêm-se como os sectores com mais empresas. O alojamento e restauração, são responsáveis por 12% das empresas criadas na última década, seguidos das actividades imobiliárias (9,4%), quanto a construção ficou pelos 8% e os grossistas 7,3%.

No que se refere a insolvências, após o pico registado em 2012, os processos têm vindo a diminuir desde 2013, tendo-se acentuado o ano passado com menos 23%, sem no entanto terem recuperado os valores de 2007. Se em 2007 era o distrito do Porto que liderava os novos processos de insolvência, é o distrito de Lisboa que ocupa o primeiro lugar desde 2012.

No período em análise, encerraram cerca de 163 mil empresas, com o número de encerramentos a manter-se perto dos 16 mil por ano, indica o estudo.

Entretanto, o crescimento do emprego no sector do turismo deverá ser, em 2025, dez vezes superior ao crescimento esperado para o emprego em toda a economia nacional.
“É um sector pleno de oportunidades: é esperado em Portugal um crescimento muito significativo da empregabilidade no turismo, que deverá traduzir-se na criação de 57 mil postos de trabalho em Portugal até 2025”, disse o Daniel Gomes, durante a segunda edição do evento “Boarding Pass”, que decorreu esta semana na Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra (EHTC).
De acordo com o professor da Escola Superior de Educação de Coimbra, este cenário viabilizará novas vagas, das quais mais de metade exigirá trabalhadores com qualificações médias ou superiores.