Turismo interno põe Algarve em máximos

De Janeiro a Novembro, o Algarve foi a única região do país a ultrapassar a marca dos 20 milhões de dormidas e, segundo o presidente da RTA, João Fernandes, o mercado interno, ao ter registado “um aumento expressivo”, foi um dos responsáveis pelos bons resultados.

Em 11 meses, de Janeiro a Novembro de 2019, e de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística, o Algarve ultrapassou a marca dos 20 milhões de dormidas nos estabelecimentos de alojamento turístico, sendo, pelo terceiro ano consecutivo, a única a região no país a atingir este patamar de dormidas num único ano. A região prepara-se, assim,  para alcançar novos máximos anuais nas dormidas, nos hóspedes e nos proveitos na hotelaria, assim como nos passageiros e nas voltas de golfe.

No mês de Novembro, o alojamento turístico algarvio – que na definição do INE compreende hotelaria, alojamento local com 10 ou mais camas e turismo no espaço rural/de habitação – registou cerca de 203 mil hóspedes (+12,1% do que no mesmo mês do ano anterior) e 789 mil dormidas (+7,8%). As dormidas de residentes cresceram 17,8% e as de não residentes 5,9%, com destaque para o Reino Unido (+5,7%), Alemanha (+10,5%), Espanha (5,7%), EUA (+22,1%) e Itália (+40,4%). A estada média foi de 3,89 noites e a taxa líquida de ocupação ascendeu a 27,4%.

No mesmo mês, os proveitos totais no alojamento do Algarve aumentaram 10,6%, atingindo 32,3 milhões de euros, enquanto o rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) aumentou 6,4%, para 17,4 euros, e o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 49,8 euros (+4,6%).

Comentando estes resultados, João Fernandes, presidente da Região de Turismo do Algarve, sublinha ter sido “particularmente expressivo o aumento do mercado interno, que até Novembro já ultrapassou o recorde anual de dormidas na região, alcançado em 2018”. O responsável assinala ainda “o crescimento das dormidas fora da época alta, superior a 100 mil dormidas, tudo apontando para que 2019 seja mais um ano de redução da taxa de sazonalidade, que desde 2015 tem registado uma evolução positiva no destino”

Desde o início do ano, o Algarve acumulou 4,9 milhões de hóspedes (+7,3% do que em 2018) e 20,4 milhões de dormidas (+2,4%). Os proveitos totais nos onze primeiros meses do ano ascendem a 1,2 mil milhões de euros (+7,2%). No mesmo período, os campos de golfe membros da Associação Algarve Golfe registaram 1,29 milhões de voltas (+1,4%) e o aeroporto de Faro movimentou 8,7 milhões de passageiros (+3,7%).