Turismo religioso é procurado por mais de 300 milhões de turistas, diz Taleb Rifai

Um quarto dos 1,2 mil milhões de pessoas que o turismo mundial movimentou em 2016, viajou por motivos religiosos, disse esta quarta-feira, em Fátima, o secretário-geral da Organização Mundial de Turismo (OMT), Taleb Rifai, que falava aos jornalistas no âmbito do Congresso Internacional de Turismo Religioso e Peregrinação, que decorre no Centro Pastoral Paulo VI.

“Os nossos estudos mostram que um em cada quatro turistas viajaram por motivos religiosos, por isso temos uma estimativa de 300 milhões de turistas religiosos que viajam para peregrinações ou por motivos religiosos diversos”, realçou o líder da OMT, citado pela Lusa, que acrescentou que estima-se que a nível mundial, este sector movimente diariamente 3,2 mil milhões de dólares.

Segundo Taleb Rifai, “devemos olhar para o desenvolvimento do turismo religioso também dentro de todo o turismo cultural, que é um segmento que está em crescimento a nível mundial e que tem de estar totalmente coordenado”.
Relativamente ao santuário de Fátima, que este ano registou um aumento considerável de peregrinos, devido às comemorações do centenário das aparições, o secretário-geral da OMT considera que é uma marca de valor “muito poderosa, com uma presença mundial muito forte, que deve ser maximizada”. Assim, em sua opinião, “ter uma marca poderosa como Fátima é ter 90% da capacidade de atracção de qualquer destino. E neste caso tem um papel muito importante e é usado como exemplo para outros destinos”.

Entretanto, em declarações à Lusa, o reitor do Santuário, padre Carlos Cabecinhas, afirma que “Fátima registou um aumento considerável de peregrinos provenientes da Ásia”, consolidando assim a sua internacionalização, indicando ainda que 2017 é um ano de “crescimento incrível de peregrinos em Fátima”.

De acordo com o reitor, “nós já tínhamos um grupo muito significativo de peregrinos europeus e da América Latina, mas este ano a grande novidade foi a Ásia, com crescimento exponencial dos peregrinos vindos da Coreia do Sul, da Índia, da Indonésia e das Filipinas e também da China continental”, salientou.

Houve muitas ocasiões, sobretudo entre Maio e Outubro, em que o número de peregrinos estrangeiros não apenas duplicou como chegou a triplicar, o que para nós é particularmente significativo”, frisou o reitor do Santuário, que ainda não dispõe de números relativamente ao número de peregrinos deste ano, disse o padre Carlos Cabecinhas.

No entanto, o reitor do Santuário reconhece que, nos próximos anos, não vai ser possível manter os números de 2017, “que foi um ano atípico por ser ano de centenário [das aparições], que não é replicável nos próximos anos”, mas “temos também a clara percepção de que este aumento significativo do número de peregrinos em Fátima manifesta o quanto Fátima é hoje um destino significativo um pouco por todo o mundo”, destacou.

O congresso Internacional de Turismo Religioso e Peregrinação, que termina esta quinta-feira pretende reflectir sobre o potencial e o papel do turismo religioso e dos lugares sagrados como uma ferramenta para o desenvolvimento do turismo sustentável. É uma organização do município de Ourém em parceria com a Organização Mundial de Turismo (OMT) e com o apoio do Ministério da Economia de Portugal.