Turismo residencial atrai compradores de 18 países

Foram divulgados os resultados preliminares do novo SIR-Turismo Residencial, durante a Conferência Nacional do Turismo Residencial e do Golfe, que revelam que entre o início de 2015 e o primeiro semestre de 2016 foram 18 as nacionalidades a comprar habitação turística no eixo Albufeira-Loulé, o principal mercado de turismo residencial do país.

O SIR-Turismo Residencial é um sistema estatístico que abrange a actividade de compra e venda de imóveis de turismo residencial e que é desenvolvido pela Confidencial Imobiliário em parceria coma a APR – Associação Portuguesa de Resorts, com o apoio do Turismo de Portugal.

De acordo com estes dados preliminares, o eixo constituído pelos concelhos de Albufeira e Loulé é o mercado com maior concentração da oferta de turismo residencial, com 39% do total reportado, além de ser o que tem a mais longa tradição neste segmento, incluindo em projectos integrados de resorts.

Neste eixo a Confidencial Imobiliário destaca a elevada dispersão da origem dos compradores, sublinhando que o Reino Unido continua a dominar este mercado. O mercado chinês é o segundo mais activo entre os estrangeiros, sendo que os países do Norte da Europa merecem igualmente destaque. Nesta zona, o valor médio de oferta das moradias de turismo residencial é o mais elevado entre as áreas analisadas, nos 4.870 euros/m2.

Nas vendas estrangeiras, a Confidencial Imobiliário evidencia ainda o Barlavento Algarvio e o Litoral Alentejano, com pesos de respectivamente 25% e 18% no stock de unidades residenciais em oferta para uso turístico. Em ambas as zonas, são os países do Norte da Europa os mais activos, destacando-se os compradores franceses. Por outro lado, o valor médio por aquisição por estrangeiros é bastante mais baixo, situando-se nos 318 mil euros.

As duas restantes zonas analisadas pelo SIR, com relevância para o turismo residencial são o Sotavento Algarvio, onde os preços médios de oferta estão entre os mais baixos do mercado, e zona que abrange cerca de 8,2% no stock para turismo residencial em oferta. A Grande Lisboa tem um peso de 14,2% entre a oferta analisada pelo SIR, apresentando os valores médios de oferta mais elevados do mercado entre os apartamentos.

A oferta apurada pelo SIR – Turismo Residencial para o total das regiões no período em análise é repartida entre moradias (53%), lotes (19%) e apartamentos (27%). No total de unidade em venda, 65% está integrada em resorts, um tipo de projecto onde quer as moradias quer os apartamentos em oferta apresentam valores médios mais elevados face ao mesmo tipo de produtos não integrados neste tipo de projecto.