Turismo residencial: Portugal é nº 1 na Europa

Portugal é líder no turismo residencial europeu, segundo conclui um estudo independente, comissionado pela Associação Portuguesa de Resorts e cofinanciado pelo COMPETE 2020. O estudo atribui Portugal e aos resorts portugueses o primeiro lugar numa avaliação de 26 empreendimentos de turismo residencial em 9 países.

Os 54 critérios de avaliação foram agrupados em 3 categorias micro, ao nível dos projectos e empreendimentos, e 7 categorias macro, respeitantes ao país. Nos critérios das categorias macro, Portugal obtém um total de 63,4 pontos, com o melhor desempenho a residir nas categorias “Regime Fiscal e Incentivos”, “Governança Mundial” e “Facilidade de Negócios”.

Já no que toca aos empreendimentos, os resorts portugueses lideram com 34,6 pontos. O produto nacional de turismo residencial destaca-se nas categorias “Oferta” (características, serviços, número e qualidade de campos de golfe, e estado de desenvolvimento), “Procura” (preços de venda apelativos e variedade de nacionalidades dos compradores), e “Acessibilidade e Popularidade” (critérios como proximidade do mar, distância de aeroportos e de centros urbanos).

O estudo identifica, no entanto, alguns desafios, já que Portugal não apresenta bons resultados nos indicadores Económicos e Demográficos, com um crescimento abaixo da média dos países estudados, e crescimento negativo da população de -0,2% anual entre 2006 e 2016, abaixo da média de +0,3%. Por outro lado, Portugal é visto como mercado de preços baixos pelo que produtos de maior qualidade podem ser considerados caros dentro do próprio mercado, ainda que muito competitivos internacionalmente.

O estudo indica também que embora Portugal esteja bem posicionado para desenvolver produtos relacionados a ofertas culturais, de natureza, bem-estar, etc., “não pode deixar-se atrasar”, tendo igualmente concluído que o país tem ainda uma presença ainda tímida nos grandes eventos internacionais de turismo residencial.