Turismo vale 10,4% do PIB mundial, segundo a WTTC

A contribuição do turismo na economia mundial foi de 10,4% do PIB global o ano passado, de acordo com estudo da World Travel & Tourism Council (WTTC), que avança que a indústria de viagens registou um crescimento de 4,6% em todo o mundo em 2017 face ao ano anterior, pelo que o sector superou em 3% o PIB mundial, gerando um em cada dez empregos no planeta.

De acordo com a presidente da WTTC, Gloria Guevara “2017 foi um dos anos mais fortes de crescimento do PIB turístico numa só década”, superando a subida da economia mundial pelo sétimo ano consecutivo.

Como nos anos anteriores, os crescimentos mais significativos tiveram lugar na Ásia, enquanto aconteceu a recuperação de alguns destinos como Tunísia, Turquia e Egipto anteriormente devastados pelos impactos do terrorismo.

Entretanto, a WTTC prevê que a longo prazo deverá manter-se o crescimento do sector do turismo, mas requererá uma “forte gestão” da actividade, bem como uma “planificação efectiva”, através da utilização de tecnologias mais avançadas.

De acordo com o documento anual do Impacto Económico realizado pela WTTC, o sector do turismo é a chave do desenvolvimento económico e criação de emprego em todo o mundo, e está a superar, desde 2010, todas as restantes indústrias, pois cresceu mais de 30% em termos acumulados em comparação com os 20% da economia total.

O estudo, que analisa o comportamento da indústria de viagens e turismo em 185 países e 25, assinala que o ano passado a contribuição directa do turismo na economia mundial o ano passado foi de 2,6 mil milhões de dólares e 118 milhões de postos de trabalho directos e indirectos.

Igualmente, o tráfego aéreo mundial apresentou um aumento de 7,9% em comparação com o 2016, muito acima do crescimento médio dos últimos 10 anos. Por outro lado, o gasto turístico representou um crescimento absoluto de 16% no consumo global de 2017.
Em 2018 estima-se um crescimento positivo para todas as regiões do mundo no que respeita ao PIB directo de viagens e turismo, prevendo-se que o Sul e o Sudeste da Ásia sejam os mais rápidos em crescer no mundo, com um aumento de 7,2% e 5,9%, respectivamente, e que em 2028 este sector estimule 410 milhões de postos de trabalho a nível mundial, o que equivaleria a 1 em cada nove de todos os empregos no mundo.