Pôr turistas a “consumir o que é nosso” é a “forma mais económica de exportar”, diz Vítor Fraga

A ideia foi deixada por Victor Fraga, secretário Regional do Turismo e Transporte dos Açores nas comemorações do Dia Nacional da Gastronomia que tiveram lugar este domingo na Praia da Vitória, na Ilha Terceira.

A gastronomia, acrescentou o governante “é um dos principais produtos turísticos de qualquer destino” porque caracteriza um povo e a sua história. “Nenhum de nós fica indiferente àquilo que come quando vai de férias e, muitas vezes, retém-no, por muito tempo, quando a experiência é boa”, avançou, explicando que “aquilo que pretendemos é que quem venha aos Açores, tenha uma boa experiência, nomeadamente ao nível gastronómico”.

Victor Fraga sublinhou também que “o turismo dos Açores vive um novo momento, um novo período de desenvolvimento” dado 2015 ter-se afirmado como o melhor ano turístico para a região, com 2016 a seguir-lhe as pisadas o que, “mostra que estamos numa trajectória de consolidação que visa a sustentabilidade do sector”.

Para o confirmar, deixou alguns números: “Nos primeiros quatro meses deste ano, temos mais de 330 mil pessoas desembarcadas nos nossos aeroportos, o que significa um crescimento de 78 mil passageiros, ou seja, mais 31,2%, de uma forma transversal a todas as nossas ilhas” dado que “praticamente todas crescem a dois dígitos, o que dá bem mostra do sucesso que está a ser, por um lado, o novo modelo de acessibilidades à Região e, por outro lado, a revisão das obrigações de serviço público do transporte aéreo interilhas, que promove uma maior mobilidade entre todas as ilhas, contribuindo naturalmente para aquele que é o desenvolvimento de um sector estratégico para a Região”.

O governante sublinhou também que os proveitos hoteleiros estão a crescer em todas as ilhas contribuindo “de uma forma determinante para aumentarmos a rentabilidade das várias unidades, contribuindo para a sua sustentabilidade e para que elas preservem e criem mais postos de trabalho”. Mas não esqueceu que “o turismo nos Açores só é bom se for efectivamente bom para quem cá vive”, salientando que o que é bom para quem vive nos Açores “traduz-se em três factores essenciais: gerar riqueza, criar e preservar postos de trabalho”.