Utilização do Charles de Gaulle vai ser mais caro para bilhete de avião

O presidente da Air France, Frédéric Gagey está contra a ideia do governo francês de impor uma taxa de pouco mais de 1 euro nos bilhetes de avião aos passageiros que utilizem o aeroporto de Charles de Gaulle, em Paris.

A taxa, que se aplicaria a partir do próximo ano, ajudaria a financiar uma nova linha de comboio rápido entre o aeroporto e a cidade, que deve entrar ao serviço em 2024.

A companhia aérea é favorável ao projecto Roissy-Charles de Gaulle, mas refuta a ideia de procurar rentabilidade financeira numa eventual taxa nos bilhetes de avião, lembrando que para realizar investimentos em novos aviões, por exemplo, a Air France só pode contar com os seus próprios recursos, e esta regra deve aplicar-se em todo os domínios.

A Air France refere em comunicado que a imposição desta taxa pesará nas contas das companhias que operam com partida e destino em Charles de Gaulle, calculando-se um custo anual adicional de 17 milhões de euros.

O Charles de Gaulle Express implica uma linha ferroviária dedicada exclusivamente ao trajecto entre a estação Este de Paris e o aeroporto, com um trajecto de 20 minutos e um comboio a cada 15 minutos.

Com esta taxa suplementar sobre os bilhetes de avião que utilizam o principal aeroporto da capital francesa, o executivo de Hollande pretende contribuir para a confiança dos potenciais investidores que avançarão o dinheiro.