Vaticano põe em relevo contributo do turismo na redução da pobreza

Este é o sentido da mensagem do Vaticano para o Dia Mundial do Turismo que se celebrará a 27 de Setembro. De acordo com uma notícia veiculada pela agência Eclesia, o Vaticano considera “essencial que os benefícios económicos do turismo cheguem a todos os sectores” sociais dos países de destino e tenham “impacto directo sobre as famílias”. Para isso, segundo o documento, o progresso do turismo deve ser equilibrado, sustentável e respeitoso, em termos económicos, sociais e ambientais”. O Vaticano recorda que “o turismo é um motor fundamental de desenvolvimento económico, em virtude da sua importante contribuição para o PIB (de 3% a 5% a nível mundial), para o emprego (de 7% a 8% dos lugares de trabalho) e para as exportações (30% das exportações mundiais de serviços) ”. Indicadores que levam o Vaticano a considerar que o turismo poderá afirmar-se como “uma das opções mais viáveis e sustentáveis para reduzir o nível de pobreza das áreas mais subdesenvolvidas”. “Se for promovido de maneira adequada, ele pode ser um inestimável instrumento de progresso, de criação de lugares de trabalho, de desenvolvimento de infra-estruturas e de crescimento económico”, saliente o documento. Mas o Vaticano considera essencial que “os benefícios económicos do turismo cheguem a todos os sectores” sociais dos países de destino e tenham “impacto directo sobre as famílias”, pelo que há que “evitar um conceito economicista da sociedade”. “O enriquecimento cultural, a oportunidade de encontros humanos, a promoção do respeito recíproco e da tolerância e a promoção da formação de trabalho dos jovens”, são outras das mais-valias do turismo citadas no documento da Santa Sé. M.F.