Verão: Atrasos e cancelamentos aéreos valem mais de 46M€ em indemnizações

As indemnizações por atrasos e cancelamentos de voos durante o período do Verão, desde e para Portugal, superam os 46 milhões de euros, face aos 44 milhões de euros de 2016, estimando-se que 133.650 passageiros tenham sido afectados e com direito a reclamar.

De acordo com a Gate28, companhia espanhola com sucursal em Portugal que oferece um serviço de compensação por atraso ou cancelamento de voo a nível europeu, entre 1 de Junho e 31 de Agosto, estes passageiros sofreram até 891 incidências indemnizáveis, 5,5% mais do que no último Verão, quando foram registados 844 cancelamentos e atrasos. Nos meses do Verão de 2016, 126.600 passageiros afectados puderam reclamar até 44 milhões de euros.

Este Verão, as estatísticas da Gate 28 indicam que a percentagem de voos com direito a compensação foi de 69%. Durante este período, registou-se um total de 633 voos que acumulem um atraso de mais de três horas e 650 cancelamentos (com um total de1.283 incidências).

Ainda segundo a empresa, que acaba de lançar em Portugal uma calculadora de indemnizações que permite saber se um passageiro tem direito a reclamar uma indemnização com um valor de até 600€ por pessoa, o dia 24 de Julho foi considerado o pior do Verão para voar desde ou para Portugal devido às 67 incidências que se produziram com motivo de ventos fortes registados no Funchal, cifra que supõe 7,5% dos atrasos e cancelamentos indemnizáveis de todo o Verão. No lado oposto, 15 de Junho assinala-se como o melhor dia para voar com só 2 atrasos e cancelamentos.

Refira-se que, de acordo com a legislação europeia, os voos com menos de 1.500 quilómetros de percurso que sejam cancelados ou que acumulem um atraso de mais de três horas podem equivaler a compensações até 250 euros por pessoa. Os voos com um trajecto entre 1.500 e 3.500 quilómetros permitem uma indemnização de até 400€, enquanto a indemnização para os voos que superem os 3.500 quilómetros de viagem pode ir até 600€.