Via do Infante: Empresários querem suspensão de portagens no Carnaval e Páscoa

Várias associações empresariais do Algarve apelam à suspensão do pagamento de portagens na Via do Infante, durante os períodos do Carnaval e da Páscoa devido às obras que ocorrem na EN 125 e que têm causado graves congestionamentos de tráfego.

AHETA, ACRAL, AHISA, CEAL, NERA e ANJE emitiram um comunicado conjunto em que pedem “às autoridades competentes, designadamente ao Governo” que suspenda a cobrança de portagens na A22 – Via do Infante durante o Carnaval e Páscoa, dois períodos que sempre atraem ao Algarve muitos turistas, principalmente portugueses e espanhóis.

Na base desta reivindicação está o facto de a única via alternativa, a EN 125, estar a ser alvo de obras de requalificação que, segundo o citado comunicado, “vêm causando congestionamentos graves no trânsito um pouco por toda a região, com prejuízos enormes para os cidadãos em geral e para as empresas em particular”.

“O aumento exponencial de tráfego durante os períodos de Carnaval e Páscoa, deixa antever um agravamento da situação, com reflexos negativos para a imagem da região e, por essa via, para toda a economia regional, designadamente para a actividade turística. Recorda-se que estas épocas são muito procuradas sobretudo por turistas nacionais e espanhóis, cujas deslocações são asseguradas através de viatura própria”, justificam as associações que sublinham também a necessidade de “evitar a qualquer custo” o “aumento da sinistralidade rodoviária”.