Viagens dos residentes: menor estada média e menos dormidas

No terceiro trimestre do ano passado, os residentes em Portugal efectuaram um maior número de viagens mas de duração mais curta e menos dormidas nos estabelecimentos hoteleiros. As conclusões são do INE no inquérito à procura turística dos residentes que realça também a preferência actual dos portugueses pelo alojamento particular gratuito. De acordo com os dados difundidos na passada sexta-feira pelo INE, a duração média das viagens efectuadas pelos residentes em Portugal reduziu-se 12,9%, tendo-se situado em 6 noites, número que se compara com as 6,9 noites registadas no mesmo período de 2010. Do mesmo modo, o número de dormidas nas viagens turísticas diminuiu 3,8% em termos homólogos, totalizando 35,7 milhões. O INE sublinha que a principal alteração se deu ao nível da duração das viagens. No período em análise, 51,6% do total de viagens realizadas teve uma duração de até 3 noites, com as deslocações de maior duração a caírem 6,1p.p. em Julho, 6,6 p.p. em Agosto e 7,1 p.p. em Setembro. Quanto a dormidas, as efectuadas no terceiro trimestre do ano passado ascenderam a 35,7 milhões, -3,8% que no período homólogo do ano anterior. Já a média de pernoitas por viagem diminuiu de 6,9 noites no 3º trimestre de 2011 para 6 noites no 3º trimestre de 2012. O INE sublinha no entanto que “esta média reflecte o peso das viagens de longa duração, que não sendo maioritárias, abrangeram 86% das dormidas totais (88,8% no 3º T 2011), correspondendo a uma média de 10,7 noites (11,2 no 3º T 2011)”. Sinal da situação económica que se vive no país, o “alojamento particular gratuito” foi utilizado em 67,9% das dormidas registadas no 3º trimestre 2012 (63,9% no período homólogo de 2011), contrastando com 15,6% das dormidas em “Hotéis e pensões” (18,1% no 3º T 2011). Predominante independentemente do motivo das deslocações, o “alojamento particular gratuito” concentrou 92,7% das dormidas nas visitas a familiares ou amigos concentrou; 62% nas deslocações em “Lazer, recreio ou férias” e 52,9% nas deslocações profissionais. O estudo do INE destaca mesmo que do total de dormidas nas deslocações turísticas realizadas nos primeiros nove meses do ano passado, 70,4% ocorreram em “Alojamento particular gratuito” e 16,7% em “Hotéis e pensões”, valores que se comparam com 64,8% e 20,5% observados em igual período de 2011. M.F.