Viagens de luxo crescem quase o dobro das viagens globais

Esta é uma realidade que se tem mantido nos últimos anos, segundo a análise global ao segmento do turismo de luxo, feito pela ITB Berlin e pela consultora IPK International. A maior parte dos turistas deste segmento é originário dos Estados Unidos e da China e os destinos europeus mais populares entre eles são a Alemanha e a França.

Divulgado esta semana, o estudo conclui que o número de viagens de preços mais elevados tem subido, nos últimos anos, quase ao dobro do ritmo a que aumenta o global das viagens no mundo: desde 2014 as viagens de luxo cresceram 18%, enquanto na globalidade apresentaram uma evolução positiva de 9%.

Para este estudo, as viagens de luxo internacionais foram definidas como “todas as viagens internacionais até 3 noites, em que foram gastos mais de 750€/noite e todas as viagens acima de 4 noites cujo custo ultrapassa os 500€/noite”. Com esta base, o estudo concluiu que em 2016 foram realizadas 54 milhões de viagens de luxo internacionais, número que representou, naquele ano, cerca de 7% do total de viagens internacionais realizadas em todo o mundo.

O mercado que mais turistas de luxo gera é o dos EUA, com cerca de 13,7 milhões de viagens deste tipo, seguindo-se a China, com cerca de 10 milhões. Outros mercados geradores deste tipo de turistas são o Japão, a Grã-Bretanha, que lidera o ranking na Europa com 3,6 milhões de viagens, e Taiwan.

Já os destinos mais populares são os Estados Unidos (8,1 milhões de turistas de luxo recebidos), o Canadá e a Alemanha, que lidera o ranking na Europa com cerca de 4 milhões de visitantes de luxo em 2016. França, Itália e Grã-Bretanha são os destinos europeus que se seguem.

O lazer representa 75% das viagens de luxo que têm como destinos preferenciais as cidades (29%), seguidas do touring e do sol e praia.

De acordo com o mesmo estudo, 83% destas viagens são planeadas através da Internet, sendo que em 51% dos casos os viajantes recorrem às agências de viagens como fonte de informação. Quanto às reservas, 40% são feitas via agência de viagens.