Web Summit terá “impacto bastante positivo” nos hotéis de Lisboa

Os hotéis de Lisboa estão a perspectivar uma ocupação média em torno dos 88% de 6 a 9 de Novembro, os dias em que decorre a Web Summit na cidade. A conclusão é do inquérito que a AHP realizou junto dos seus associados da cidade e da Área Metropolitana de Lisboa.

“Por comparação com o inquérito realizado antes da Web Summit de 2016, para esta edição os nossos associados estão mais optimistas relativamente à taxa de ocupação do que em relação ao preço. Em 2016, o mesmo inquérito indicava que em Lisboa, nos dias do evento, a taxa de ocupação seria de 85%, mas verdadeiramente fechou nos 79%, no preço médio esperavam que fosse de 163€ e foi de 130€. Para a edição de 2017, prevêem que nos dias do evento o preço médio seja de 145€. De referir, também, que Portugal saiu, este ano, do TOP 4 dos mercados emissores para o evento”, avança Cristina Siza Vieira, presidente executiva da Associação da Hotelaria de Portugal.

Mais de metade dos hoteleiros de Lisboa que respondeu ao inquérito, concretamente 54%, indicou que o preço médio por quarto ocupado será superior e 33% dizem que a taxa de ocupação será melhor. Já na Área Metropolitana, 49% dos inquiridos revela que o preço médio por quarto ocupado será superior e a taxa de ocupação será melhor para 28% dos hoteleiros.

No que toca a reservas, 30% dos inquiridos afirma não ter reservas geradas pela Web Summit, 18% não sabe mas 52% afirma já ter reservas por parte de participantes no evento. Na Área Metropolitana de Lisboa, 44% das unidades já têm reservas para a Web Summit, 27% não tem reservas e 29% não sabe se as reservas são de participantes no evento.

Quanto à taxa de ocupação, em Lisboa espera-se que atinja os 88% durante o evento, enquanto na Área Metropolitana as expectativas apontam para 83% com um preço médio de 133€.

França, Reino Unido, Alemanha e Espanha são os principais mercados das reservas efetuadas para as datas do evento, quando em 2016, os mercados eram França, Reino Unido, Portugal e Espanha.