WTM: falhas na Monarch e Ryanair dão importância à protecção do consumidor

O relatório World Travel Market London 2017 Industry Report revela que nove em cada 10 turistas britânicos reconhecem a importância das suas férias estarem protegidas a nível financeiro, após os cancelamentos em massa pela Monarch e Ryanair.

Segundo o relatório, publicado esta segunda-feira na World Travel Market 2017, 9% dos turistas britânicos não reconhecem os logos da ABTA e ATOL, em comparação com os 70% que afirmam que procuram activamente símbolos de modo a que se tranquilizem quando compram uma viagem. A importância dada à protecção do consumidor advém do colapso de companhias aéreas e operadores turísticos conhecidos, bem como o número de recentes incidentes terroristas.

O declínio da Monarch Airlines fez manchetes internacionais, quando a Civil Aviation Authority – CAA teve de resgatar 110.000 pessoas, que levou de volta para o Reino Unido em voos especiais, enquanto 300.000 reservas foram canceladas. A Monarch deixou de oferecer a cobertura Air Travel Organiser’s Licence – ATOL, que protege os passageiros caso a empresa os falhe, nas reservas de voos do Reino Unido em Dezembro do ano passado, menos de dois meses após saber-se que estava à beira do colapso.

Contudo, a protecção ATOL permaneceu para pacotes turísticos comprados através da Monarch, tornando ainda mais importante que o consumidor confira e leia as letras pequenas até encontrar esses logos de protecção. Isto vem no seguimento do cancelamento de 18.000 voos pela Ryanair, o que afectou perto de 400.000 passageiros, entre Novembro de 2017 e Março de 2018, também sem protecção ATOL.

O relatório faz ainda eco das descobertas da ABTA relativamente ao crescimento da consciencialização sobre a protecção entre os consumidores após estas falhas. A associação mostra que em Setembro 74% das pessoas reconheciam o logo da ABTA, um aumento de 1% relativamente a 2016. Ainda assim, a CAA refere que o número de reservas com protecção ATOL decresceu abruptamente em 2016, após cinco anos de crescimento, com 24,9 milhões de turistas protegidos no ano passado, comparando com 25,2 milhões em 2015.

De acordo com uma votação independente da YouGov para fornecedores de moeda estrangeira First Rate, 72% dos entrevistados pensam que protecção ATOL é importante. Descobriu ainda que a ATOL é uma prioridade para 79% das pessoas acima dos 55 anos de idade e que aqueles entre os 18 e os 24 concordam que a protecção do consumidor é importante.